Da redação JM

A Assembleia de Deus chegou ao Brasil por intermédio dos missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren. Foto: Reprodução

Nesta terça-feira, 18 de junho, as Assembleias de Deus no Brasil completaram 108 anos de fundação. A denominação pentecostal surgiu após a chegada dos dois missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren.

Hoje, a Assembleia de Deus é maior denominação evangélica do país, com representação em todas as camadas da sociedade, tendo templos em quase todas as cidades brasileiras e, devido às suas proporções, um grande celeiro para pregadores.

Acontece que atualmente grande parte destes pregadores não tem valorizado o púlpito e exposto com fidelidade a mensagem bíblica, pelo contrário, usam e abusam de jargões e sermões mais focados no homem do propriamente na cruz de Cristo.

+ “O fervor evangelístico tem diminuído em nossas igrejas”, alerta teólogo assembleiano

+ “Jovens são o futuro da Igreja?”: Teólogo alerta Igreja sobre o perigo do “culto à juventude”

Sobre essa assunto, o escritor e teólogo pentecostal Gutierres Siqueira deixou seu alerta no dia do aniversário dos 108 anos da AD no Brasil. Ele diz que o grande desafio à essa altura da história da denominação no país é a valorização do púlpito, ou seja, dos sermões pregados em toda a igreja o país. Siqueira é teólogo pentecostal e em seu blog Teologia Pentecostal trata de assuntos relativos à teologia em geral, mas principalmente sobre o tema carismático.

VEJA TAMBÉM
Movimento pentecostal moderno completa 110 anos com avivamento

Precisamos urgentemente levar a sério a pregação das Escrituras. Chega de pregadores performáticos, ocamente barulhentos, vaidosos, mas, ao mesmo tempo, sem conteúdo, sem piedade e sem compromisso. Chega de triunfalismo, antropocentrismo, autoajuda e de mensagens água com açúcar! Gunnar Vingren, Daniel Berg e Samuel Nystrom certamente se envergonhariam e se constrangeriam se estivessem congregando hoje em muitas igrejas assembleianas.

Gutierres Fernandes Siqueira, teólogo assembleiano e escritor. Foto: Facebook/Arquivo Pessoal

Gutierres pede também que os pregadores contribuam para o legado dos pioneiros e não os envergonhem com suas posturas nos púlpitos: “Pregadores assembleianos, não envergonhem o legado deixado pelos nossos esforçados missionários“.

Daniel Berg, Gunnar Vingren, e os demais pioneiros tinham uma mensagem simples, mas bíblica e cheia do poder de Deus: “Jesus salva, cura, batiza com o Espírito Santo e em breve voltará!”

Confira na íntegra o texto de Gutierres:

108 ANOS

Hoje a minha querida Assembleia de Deus faz 108 anos. Nos anos anteriores procurei destacar seus aspectos mais positivos, mas hoje, neste dia de celebração, quero falar do nosso maior desafio. E esse grande desafio é a qualidade do púlpito. Precisamos urgentemente levar a sério a pregação das Escrituras. Chega de pregadores performáticos, ocamente barulhentos, vaidosos, mas, ao mesmo tempo, sem conteúdo, sem piedade e sem compromisso. Chega de triunfalismo, antropocentrismo, autoajuda e de mensagens água com açúcar! Gunnar Vingren, Daniel Berg e Samuel Nystrom certamente se envergonhariam e se constrangeriam se estivessem congregando hoje em muitas igrejas assembleianas. Que a igreja não confunda pregação fervorosa, característica tão presente na tradição pentecostal, com desprezo pelo conteúdo das Sagradas Escrituras. Uma igreja com o púlpito doente produzirá crentes enfermos. 

VEJA TAMBÉM
Líderes evangélicos emitem Nota contra "guerra" teológica entre Calvinistas e Arminianos

Pregadores assembleianos, não envergonhem o legado deixado pelos nossos esforçados missionários, e, acima de tudo, não desprezem o nobre chamado de Deus: a pregação centrada em Cristo sob o impulso do Espírito Santo.