Vereadores debateram relatório de CPI durante sessão — Foto: Reprodução/TV Anhanguera


O relatório da CPI do PreviPalmas foi apresentado na tarde desta quinta-feira (27) na Câmara de Vereadores. O resumo do documento foi lido pela relatora, a vereadora Laudecy Coimbra (SD). A investigação foi aberta após aplicações serem feitas em fundos de alto risco que podem gerar prejuízos. No ano passado a polêmica levou à saída do diretor de investimentos e do presidente do Instituto de Previdência Social do Município.

A CPI levou à responsabilização de ex-gestores da Prefeitura de Palmas e administradores do fundo de investimento, além da Caixa Econômica Federal, que teria transferido o dinheiro sem as assinaturas necessárias.

+ “Essa CPI não vai terminar em Pizza”, declara Vandim do Povo sobre o PreviPalmas

Entre os ex-gestores responsabilizados estão:

  • Maxcilane Fleury, ex-presidente do Previpalmas;
  • Cristian Zini, ex-secretário de finanças de Palmas;
  • Fábio Costa, ex-diretor financeiro do PreviPalmas;
  • Carlos Amastha, ex-prefeito da capital;

Segundo as investigações, os prejuízos feitos em dois fundos de investimento considerados de risco podem chegar a R$ 58 milhões. O ex-prefeito Carlos Amastha foi responsabilizado indiretamente por omissão e por nomear gestores, segundo a relatoria, sem qualificação para os cargos.

VEJA TAMBÉM
Na Câmara, Carlos Gaguim critica leilão de imóveis por dívidas com IPTU em Palmas

Caso seja aprovado, por maioria simples, o relatório será encaminhado para o Ministério Público Estadual e outros órgãos de controle e fiscalização. Os investigados podem até ser penalizados criminalmente.

A Comissão Parlamentar de Inquérito foi aberta no ano passado. Foram dez meses de investigação e durante esse período 27 pessoas foram ouvidas pelos parlamentares. O relatório não chegou a ser votado nesta quinta-feira (27) porque o vereador Major Negreiros (PSB) pediu vistas e retirou o documento de 213 páginas para avaliação.

Uma sessão extraordinária foi marcada para esta sexta-feira (28), a partir das 8h, quando o documento deve ser votado pelos parlamentares.

Outro lado

A Caixa Econômica informou, em nota, que as movimentações nos fundos de investimentos à época foram solicitadas pelos representantes do Previpalmas e que pediu cópia do dossiê. A instituição informou ainda que todas as movimentações bancárias são sigilosas.

O ex-prefeito de Palmas Carlos Amastha (PSB) disse que foi dele a iniciativa da CPI do Previpalmas e que sempre conduziu a prefeitura com seriedade.

O ex-presidente do instituto, Maxcilane Fleury, o ex-secretário de finanças de palmas e o ex-diretor financeiro do Previpalmas, Fábio Martins, foram procurados pela reportagem , mas eles não atenderam, nem retornaram as ligações.

VEJA TAMBÉM
Amastha inicia discussão do secretariado, Ayres é cogitado para Habitação; Shuller pode deixar gestão

(Com G1)