O que o Egito, país tão emblemático e conhecido por suas grandes pirâmides de Gizé, esfinge e mitologia, tem a ver com a história bíblica? Para começar, é preciso lembrar que a Bíblia foi escrita num período de aproximadamente 1600 anos. Nesse ínterim, grandes potências mundiais tiveram parcelas de contribuição para a escrita do livro sagrado, como a Babilônia, Grécia, Roma, Assíria, Pérsia e, claro, o Egito.

O Egito foi a primeira potência mundial relacionada com a história da Bíblia. Foi sob o domínio egípcio que se formou a grande nação de Israel. Ainda, os cinco primeiros livros da Bíblia foram escritos por Moisés, que nasceu no país e foi educado lá mesmo. J. Garrow Duncan, famoso na Amazon por seus livros sobre a história egípcia e autor de New Light on Hebrew Origins (Nova Luz sobre as Origens Hebraicas), traz que o uso da palavra “faraó”, no Velho Testamento, é a prova mais convincente do profundo conhecimento da vida egípcia.

Pelos no rosto eram sinais de impureza

Era costume dos homens hebreus, nos tempos antigos, usarem barba. No entanto, em Gêneses 41:14, a Bíblia conta que José se barbeou antes de ir ao encontro do Faraó. Mas qual seria o motivo para tal? De acordo com Lionel Casson em seu livro Everyday Life in Anciet Egypt (O Cotidiano no Egito Antigo), José fez a barba em respeito aos costumes egípcios da época, que ditavam pelos no rosto como impureza. Esse fato é corroborado pela descoberta de lâminas, espelhos e pinças encontrados em túmulos.

Carros e cavalos

O Egito é sinônimo de negociações, riqueza e poder. Essa representação é utilizada até os dias de hoje, principalmente em casas de apostas e loterias. O cassino online netbet traz à tona as negociações egípcias com seus jogos Legacy of Egypt, Coins of Egypt entre outros. Nesse sentido, os negócios no Antigo Egito são mencionados em algumas passagens da Bíblia, como em 1 Reis 10:29, onde há detalhes sobre o comércio de carros e cavalos entre o Rei Salomão e os egípcios.

Na história egípcia, um historiador grego chamado Heródoto, por meio de suas descobertas arqueológicas, confirmou que existia um grande comércio de carros e cavalos durante a época do reinado de Salomão. Os valores são comparados com o que é escrito na Bíblia, onde “seiscentas moedas de prata e um cavalo… cento e cinquenta” – 1 Reis 10:29 –, ou seja, ¼ do preço de um carro, é utilizado como referência monetária.

Considerações

A história bíblica tem muita relação com o Egito. Em diversos momentos na Bíblia, é possível ler e entender contextos históricos que se passavam diretamente no grande país das pirâmides. Hoje, após inúmeros achados advindos de escavações, fica mais fácil corroborar as informações bíblicas à realidade histórica. É fácil encontrar livros onde autores e estudiosos buscam correlacionar os achados de expedições com os fatos narrados no Velho Testamento. Dessa forma, percebe-se que as informações acerca do Egito, na Bíblia, são muito confiáveis e trazem corroborações necessárias para a compreensão do livro sagrado.