Pastor Paulo Martins Neto, presidente da Convenção Ciadseta no Tocantins – Foto: Eliezio Manos

Não tem mais perdão. Faltou a três reuniões de Assembleias Gerais Ordinárias da Convenção Interestadual dos Ministros das Assembleias de Deus do Seta (Ciadseta-TO), o pastor ou evangelista será automaticamente excluído dos quadros da convenção e perderá a condição de ministro.

+ Jornalista de Araguaína é homenageado na Câmara dos Deputados

+ CIADSETA|| Eleição sem limites de reeleição será analisada em AGE

Foi com base no estatuto da Convenção, em seu Art. 15, §2º. que Ciadseta excluiu dos seus quadros no último mês de junho, em Araguaína, 428 ministros, entre pastores e evangelistas que faltaram a três reuniões sem justificativa.

O artigo diz o seguinte:

Artigo 15 – Penalidades a que se sujeitam os membros da CIADSETA-TO:

§2º. perderá a condição de membro da CIADSETA-TO: V. quem deixar de comparecer em três assembleias ordinárias consecutivas sem justificativa.

A publicação da relação foi publicada no site da Convenção Ciadseta –TO. A convenção no Tocantins é presidida pelo pastor Paulo Martins Neto.

Ao JM Notícia, o secretário geral da Convenção Ciadseta, pastor Augusto Moraes afirmou que o termo correto é baixa no sistema, e que esses nomes se tratam de processos antigos de pastores que foram uns para CIMADSETA, outros COMADESMA, e outros CIADSETA PA-MT.

VEJA TAMBÉM
Pastor e esposa são condenados à prisão por educarem seus filhos em casa

ABUSOS

Um pastor que pediu para não se identificar, afirmou que ele considera que houve alguns abusos. Segundo ele, “Tem ministros que saíram para outras convenções e outros que deveriam não serem descredenciados mas condecorados pelos anos que serviram a Convenção”, disse o pastor afirmou que foi algo inédito na história da Ciadseta.

DESABAFO

“A Convenção precisa ter um papel de ajudar “Ser mais bom samaritano” algozes já temos muitos por aí”.