Da redação

O presidente aumentou de 1,2 pra 4,8 milhões o piso para que igrejas declarem movimentações| Foto: Marcos Corrêa

O presidente Jair Bolsonaro aliviará, a pedido dos evangélicos, as obrigações fiscais pagas pela classe. A proposta foi do deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ).

Desde que foi solicitada, em maio, a proposta já angariou duas conquistas: o cadastro do CNPJ apenas para igrejas matrizes (excluindo as menores e/ou filiais) e a elevação de R$1,2 milhão para R$ 4,8 milhão do piso de arrecadação para que uma igreja seja obrigada a declarar suas movimentações financeiras diárias.

+ Bolsonaro destaca força evangélica no Brasil: “decisivos para mudar o destino”

+ Na Marcha para Jesus, Bolsonaro fala de reeleição: ‘se o povo quiser’

Segundo o jornal O Globo, até o momento o governo atendeu 30% das sugestões dos evangélicos. O público é responsável por 41% de aprovação de Bolsonaro contra apenas 25% dos católicos.”