Da redação

O evangélico Claudionor Cosme Gonçalves, que faria 65 anos nesta segunda-feira (15), foi morto com golpes de martelo na cabeça pelo próprio filho, no início da tarde deste domingo (14), em Campo Largo, região metropolitana de Curitiba. Claudinei Cardozo Gonçalves, de 30 anos, foi preso em flagrante, com sinais de perturbação mental.

O crime aconteceu na rua Joaquim Celestino Ferreira, no Jardim Esmeralda, na casa da família. Segundo informações da Polícia Militar (PM), Claudinei teria cometido o crime depois de uma briga entre os dois, durante o horário de almoço. No momento da prisão, o suspeito resistiu e precisou ser contido à força.

O sargento Baranhuk, da 3ª Companhia do 17º Batalhão da PM, conta que no momento da prisão, o suspeito estava no quarto. “Entrando na residência, visualizamos o senhor caído no chão com bastante sangue. Conforme nos foi repassado, o autor dos ferimentos seria o filho da vítima e estaria escondido no quarto. Segundo familiares no local, Claudinei seria usuário de drogas e já estava tendo desentendimentos com o pai há algum tempo”, disse Baranhuk, que acredita que a discussão começou por conta do consumo de drogas.

Claudinei Cardozo Gonçalves. Foto: Reprodução

“Tudo leva a crer que a origem da discussão de hoje foi o consumo de droga, já que Claudinei seria viciado em crack. Ele teve um ataque de fúria, aparentava estar mentalmente perturbado, inclusive reagiu a prisão e na delegacia começou a falar coisas sem nexo”, completou o sargento.

VEJA TAMBÉM
Ataque em igreja: "tragédia poderia ter sido muito pior”, diz polícia

Ainda segundo Baranhuk, o suspeito teria admitido o crime contra o pai, mas que não teria usado nenhuma droga, neste domingo.

Pastor

De acordo com o pastor da igreja frequentada pela família, Ezequiel Ferreira Portela, o pai era uma pessoa tranquila, já teria comentado sobre o vício de seu filho em drogas e as dificuldades que passava por conta da situação. “O pai era da nossa igreja. Uma pessoa série, direita, tranquila, mas infelizmente aconteceu essa fatalidade. Às vezes, ele comentava sobre o vício em drogas do filho e que a situação estava difícil, já que algumas vezes o rapaz ficava um pouco alterado”, contou o pastor.

Pai e filho teriam conversado com o pastor no sábado (13) e, segundo Portela, foram embora do culto da igreja aparentemente bem. “Ontem, eu conversei com pai e filho, que estava alterado antes de iniciar o culto. Depois, Claudinei ficou mais tranquilo e até me pediu desculpas por alguma coisa. Ficou tudo bem e depois foram embora” afirmou Portela que ainda contou que Claudionor estava fragilizado por conta de uma cirurgia e que não sabe os motivos que levaram Claudinei a matar o pai.

VEJA TAMBÉM
Sobrevivente de voo da Chape morre após infarto

(Com informações Banda B)