Da redação

Nesta segunda-feira (15) a Portas Abertas Internacional completou 64 anos de intensa atuação pelo mundo, fortalecendo a Igreja Perseguida. Presente em mais de 60 países, a Portas Abertas mantém firme o seu propósito de servir e fortalecer irmãos que enfrentam perseguição por causa da fé em Jesus Cristo. Graças ao trabalho da Portas Abertas, milhões de cristãos são apoiados e permanecem sustentados em lugares hostis ao evangelho.

Entre as ações da Portas Abertas junto aos cristãos perseguidos é possível destacar campanhas de oração, campanha de cartas, fornecimento de Bíblias e livros no idioma de cada nação, além de treinamento e ajuda socioeconômica. Tudo isso feito com a ajuda de parceiros e colaboradores fiéis que se importam com a causa da Igreja Perseguida. Vale destacar que uma característica intrínseca da Portas Abertas é não enviar “missionários” às nações, mas, sim, preparar o cristão perseguido nativo para permanecer e fazer a diferença em seu próprio país.

+ Irmão André, fundador da Missão Portas Abertas, celebra 91 anos de idade

VEJA TAMBÉM
Discipulado treina jovens cristãos bengaleses para auxiliarem igreja local

Além de preparar os cristãos de países hostis ao evangelho para a ameaça e existência da perseguição, a Portas Abertas também atua na conscientização e mobilização da igreja livre sobre a realidade da perseguição e do dia a dia dos cristãos perseguidos. O objetivo deste trabalho é incentivar a união da igreja livre com a Igreja Perseguida, motivando a frequente oração, a visita aos cristãos perseguidos e a contribuição para as campanhas desenvolvidas. 

E o irmão André?

É impossível falar da Portas Abertas sem falar do irmão André. Afinal, tudo começou com um simples ato de obediência, quando o jovem holandês Anne van der Bijl, mais conhecido como Irmão André, aceitou o chamado de Apocalipse 3.2: “Esteja atento! Fortaleça o que resta e que estava para morrer”. Assim, ele iniciou o trabalho de distribuição de literatura cristã para irmãos atrás da Cortina de Ferro (a antiga divisão da Europa em Europa Oriental e Ocidental durante a Guerra Fria).

Na época, o fundador da Portas Abertas já dizia: “A questão mais importante para mim não é se contrabandeamos Bíblias, mas se vamos até lá. Queremos invadir não só países fechados, mas qualquer barreira inspirada pelo diabo e feita pelo homem para afastar as pessoas da mensagem de Cristo, incluindo barreiras raciais, sociais, políticas, cul­turais e tantas outras”.

VEJA TAMBÉM
Boko Haram incendeia casas e igrejas no norte do Camarões

O tempo passou e a Portas Abertas cresceu. Atualmente, o irmão André tem 91 anos de idade e muito trabalho já foi feito. Mas há ainda um grande caminho a percorrer. Louve ao Senhor conosco por mais um aniversário e clame a Deus para que ele permaneça no centro dessa obra. A nossa jornada continua e convidamos você a permanecer conosco!