Da redação

“Palmas é uma capital jovem, muito rica em natureza e que precisa ser preservada”, ressaltou Marinho. Foto: Divulgação

Para o vereador Moisemar Marinho (PDT), o trabalho do parlamento municipal deve ir além das apresentações de matérias que tratam de orçamentos e de tributos. De acordo com ele, é necessária uma atenção especial ao meio ambiente.

“O parlamento não pode fugir desta responsabilidade, que é a de cuidar do meio ambiente, principalmente levando em consideração que Palmas é uma capital jovem, muito rica em natureza e que precisa ser preservada. Precisamos acompanhar outras capitais e também evoluirmos no sentido de que é nosso dever também lutar pelas causas ambientais e pelo futuro das próximas gerações”, afirmou.

+ Moisemar Marinho avalia positivamente semestre na Câmara: “obtivemos um resultado positivo”

Projetos de Lei

Nesse sentido, Moisemar Marinho relembrou o Projeto de Lei de sua autoria, que proíbe a venda de canudos de plástico no âmbito de Palmas. No Brasil, cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Florianópolis, Campinas, Curitiba e Porto Alegre já aprovaram leis que proíbem a distribuição e uso de canudos de plástico.

VEJA TAMBÉM
Moisemar pede apoio de novos vereadores para projeto que reduz tarifa de esgoto

No Tocantins, em Araguaína, o vereador Ferreira Barros Filho, popularmente conhecido por “Ferreirinha”, também defendeu a aprovação do projeto de sua autoria que proibiu a comercialização dos canudos de plástico na cidade. “Os canudos não são biodegradáveis. Dessa forma, são considerados um dos maiores poluidores do ambiente”, disse o vereador.

Outro projeto apresentado pelo vereador Moisemar Marinho obriga as casas de shows e os produtores a recolherem o lixo do entorno após a realização de eventos privados na Capital. Conforme o projeto, o recolhimento do lixo deverá obedecer ao prazo de 12 horas após o término do evento.