Da redação

Em razão das investigações da segunda fase da operação “Walking Dead“, os representantes legais de uma loja de departamentos da região norte do Estado aderiram ao programa de parcelamento de dívidas tributárias com a Fazenda Pública Estadual (Sefaz) e vão recolher R$ 4,2 milhões de reais aos cofres públicos.

Os valores serão recolhidos em 60 meses e reforçarão o sistema de arrecadação tributária do Estado.

+ Polícia Civil cumpre mandados no Tocantins, Pará e Maranhão em nova fase da “Walking Dead”

De acordo com o delegado Vinícius Mendes, em razão do parcelamento da dívida tributária, em observância à legislação, o inquérito policial ficará suspenso, em relação aos investigados que realizaram o parcelamento, até o integral pagamento da dívida com a Fazenda Pública. “A empresa investigada pela Polícia Civil estava registrada em nome de uma mulher, falecida em 2010, e que tivera os seus documentos utilizados para alterações no contrato social, a fim de auferir valores que deveriam ser recolhidos em impostos”, afirmou.

VEJA TAMBÉM
Governo do Estado publica decreto com Manual de Procedimentos da Polícia Civil e regras geram polêmica

(Com Secom)