Da redação

“Eu creio que o Brasil de certa forma removeu um trono de iniquidade na nação, e só por isso a nação já é abençoada”, declarou

O cantor gospel Rodolfo Abrantes (46), ex-Raimundos, concedeu entrevista ao canal de Youtube Abundante Vida, e falou sobre seu ministério e como tem sido ser um canal de bênção para uma geração. Além do tema anterior, o cantor também falou sobre política e não se furtou a deixar sua posição sobre o governo atual exercido por Jair Bolsonaro.

A entrevista aconteceu na sede da Igreja Abundante Vida, em Londres na Inglaterra e foi publicada nesta última terça-feira (16).

Eu tive nos meus 20 e poucos anos o privilégio de tocar uma nação e fiz isso do jeito que eu quis. Até que o Senhor me achou e você pensa ‘meu tempo passou’. Mas de repente Deus me dá a oportunidade de fazer isso de novo“, conta o cantor sobre a prosperidade de seu ministério aos 46 anos de idade.

+ Rodolfo Abrantes lança “Na Gravidade da Presença” nas plataformas digitais

+ Conheça oito ex-cantores seculares que trocaram a fama pelo Evangelho de Cristo

Sobre a nova geração de pastores e cantores no país, Abrantes reconhece que Deus tem abençoado e “jogou luz” sobre alguns destes ministérios. Para ele o sucesso, no entanto, não é medido de maneira vertical (o quão auto essa pessoa chega na carreira), mas horizontalmente, ou seja, somente aqueles que permanecerem fieis terão a confirmação de que realmente estão cumprindo o chamado divino.

Quanto à política, o cantor falou de Jair Bolsonaro e declarou o seguinte:

“Casa abandonada

Cara você pega uma casa abandonada na mão de bandidos, e deixa assim por longos e longos…mais de uma década, tem muita coisa pra você consertar. Então, você assume a direção dessa casa e não é de uma hora pra outra que ela vai ficar linda. Tem muito trabalho”, disse Rodolfo.

“Eu não me admiro nada se esse novo governo levar os 4 anos que tem só pra começar a desfazer a bagunça que foi feita por.…a gente nunca teve uma história política séria no Brasil. É muito fácil jogar toda a culpa no PT e dizer que a sua administração arruinou o Brasil. O Brasil vem sendo arruinado desde a sua descoberta, e o PT, eu acho que chegou num ápice quando se assume um papel, cara, uma linha que por onde passou no mundo trouxe destruição e pobreza. E a gente é um país rico, cara. O Brasil é rico demais”,continuou.

VEJA TAMBÉM
Mensagem profética sobre novo atentado contra Bolsonaro é criticada por Malafaia

Potência e pobreza
“Se o Brasil tiver gente que o ame no governo, este país tem como ser uma grande potência no mundo. E é revoltante você fazer parte de um país rico e ter um povo pobre dentro desse país. Ou seja, quem tá roubando essa riqueza? São os próprios brasileiros, caramba! Então, pra onde este dinheiro tá indo? Se os brasileiros estão roubando o próprio país, é de se pensar que esse dinheiro fique dentro de casa! Se quem tá roubando tá lá, é muita bagunça”, afirmou.

Bolsonaro
“Eu vejo um governo que assume pela primeira vez a presidência de um país. É um o governo que… vai ter que aprender a ser presidente. O Bolsonaro pra mim não é um mito. Ele não é um salvador. Ele foi uma voz, ele foi…essa eleição pra mim, ela… eu tinha uma preocupação muito maior do que ver o Bolsonaro sendo eleito…era não ver o PT ser eleito de novo”, falou Rodolfo.

“Chega do mesmo, sabe? O mesmo eu já sei como é que é. Eu quero algo novo que me dê esperança, pelo menos. Então, eu percebo alguns erros, assim, naturais. Eu nunca vi um governo que não erre. Mas, eu percebo uma firmeza de convicção. Assim, quem conhece o presidente pessoalmente – eu não o conheço – mas eu conheço muitas pessoas que o conhecem, dizem que ele é um cara extremamente simples, acessível e que você não tem surpresa com ele. Ele é exatamente aquilo ali”.

“Então é assim, aquela figura do paizão. Aquele cara que é meio xucro, que é meio grosso, mas é aquilo ali. Então, eu tenho bons olhos. Eu creio que o Brasil…cara, de certa forma removeu um trono de iniquidade na nação, e só por isso a nação já é abençoada. E agora é orar para que ele dê os passos certos, né? ”, disse ele.

VEJA TAMBÉM
Bolsonaro se filia ao PSC e é lançado como pré-candidato à Presidência

Nova Previdência
Perguntado sobre a Reforma do Paulo Guedes e das atitudes do Congresso agindo contra a vontade do povo brasileiro, o entrevistador perguntou se Rodolfo acredita que a Reforma dará certo.

“Uma das coisas que o governo novo tem que aprender é a conversar, né? Sem abrir mão de uma das pautas da eleição, que foi o ‘vamos acabar com a política antiga do Toma-lá-dá-cá’. Ou seja, você percebe que o Bolsonaro não é que ele é duro, intransigente e não converse. Ele quer simplesmente remover essa política antiga. É a impressão que me dá. Só que não é assim, tão radical desse jeito. Precisa haver conversa. Precisa haver diálogo, senão a gente não precisa também de um parlamento. Se não for pra ouvir os caras, não precisa nem de um parlamento”, disse ele.

“Então, ambos os lados estão aprendendo a dialogar. Ok, não vai mais ser do jeito que era, mas também não dá pra ser de uma vez, só uma voz falando. Ou seja, eles estão aprendendo a conversar. Essa semana mesmo, algumas medidas foram aprovadas e você percebe que isso já fala de uma conversa, de um certo entendimento. E a medida que eles forem se entendo e isso for para o melhor do país, todo mundo vai receber as suas medalhinhas de honra”, concluiu Rodolfo.

Rodolfo Abrantes

Rodolfo Abrantes, fez parte da banda de punk rock Raimundos, sucesso entre os jovens na década de 90. E da banda Rodox, nos anos 2002 e 2003.

O ex-vocalista e sua esposa Alexandra passaram por momentos difíceis de muitas brigas por conta das drogas. O casal teve um encontro com Deus e passou por uma grande transformação de vida.

Rodolfo deixou a vida que levava para poder se dedicar ao aprendizado da Palavra de Deus. E hoje, propaga a sua experiência de fé e salvação pregando a Palavra de Deus e passou a usar seus talentos musicais para compor e cantar músicas que falam dessa sua relação com Deus e de sua transformação de vida.

Assista:

(Com Conexão Política)