Da redação

Flávio dos Santos, que está preso desde o dia 20 de junho, confessou ter atirado seis vezes em Anderson do Carmo Souza. Foto: Ricardo Cassiano

Mais uma reviravolta no caso da morte do pastor Anderson do Carmo: no começo da tarde desta terça-feira os três advogados — Maurício Mayr, Flávio Crelier e Anderson Rollemberg — que defendiam Flávio dos Santos Rodrigues, de 38 anos, filho da deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSC) decidiram que não farão mais parte da defesa. Flávio — que está preso desde o dia 20 de junho e que confessou ter atirado seis vezes em Anderson do Carmo Souza — já teria sido informado da decisão dos defensores.

Polícia confirma: arma encontrada na casa de Flordelis foi usada para matar pastor

Flordelis exonera esposa do filho que deixou ministério

Segunda baixa

Segundo O Dia, essa é a segunda baixa em menos de 48 horas de advogados que defendiam o homem. O motivo da decisão não foi informado. Os advogados haviam pedido ao ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), acesso ao inquérito, o que foi concedido.

VEJA TAMBÉM
Filho da cantora Flordelis e do pastor Anderson do Carmo é detido em enterro

No começo da tarde de ontem, Alexandra Menezes — que também defendia o filho adotivo do pastor Anderson do Carmo, assassinado em junho — decidiu que não iria mais partir do caso. Alexandra alegou foro íntimo, deixando o caso por motivos pessoais. Segundo a lei, após protocolar o pedido de desligamento do processo, a advogada ainda deve permanecer na defesa do acusado por mais dez dias.