Da redação

Pregador foi detido por pregar o Evangelho em Londres. Foto: Cortesia da Christian Concern

Um pregador de rua que foi injustamente preso e expulso da área local por simplesmente declarar o evangelho ganhou uma indenização da polícia de Londres.

Oluwole Ilesanmi estava pregando do lado de fora da Estação de Metro Southgate no norte de Londres quando foi abordado pela polícia e preso por “violar a paz”. A polícia então o transferiu de carro para um local remoto a mais de 8 quilômetros de distância, onde foi “preso” e deixado para ir à sua casa.

+ Pastores e pregadores, sejam humildes: “o único especial é Cristo”

+ Jovem pregador revela ser gay e desabafa na internet: “Sai da Igreja, mas não de Cristo”

Agora, depois que uma petição foi iniciada, instando a Secretaria do Interior britânico a investigar o treinamento dado aos policiais sobre a liberdade de pregar em público, Olu recebeu uma espécie de vitória – um pagamento em dinheiro da força policial ofensora.

A Polícia Metropolitana de Londres entregou ao pregador £ 2.500 em danos exemplares, revelou Christian Faith à Christian Faith.

VEJA TAMBÉM
Pastor Carvalho Júnior sofre acidente no estado do Pará

“Fico feliz que a polícia tenha reconhecido que não estava certo prender-me por pregar da Bíblia”, disse Olu após a notícia do pagamento. “Foi traumático ser preso e deixado muitos quilômetros de minha casa. Mas Deus estava sempre comigo e, embora eu fosse deixado em um lugar que eu não conhecia, estava determinado a voltar para Southgate e começar a pregar o evangelho novamente ”.

Ilesanmi, que apresentará pessoalmente a petição ao Ministério do Interior nesta quarta-feira, observou que quando veio para o Reino Unido da Nigéria, “era um país cristão livre”, mas que agora pregadores como ele “estão sendo presos por falar verdade.”

“Os cristãos e a liberdade de expressão devem ser protegidos, especialmente pelo governo e pela polícia. Espero que esse reconhecimento de culpa possa levar a que mais cristãos sejam protegidos e que a polícia tenha uma visão melhor do que significa proclamar legalmente a Palavra de Deus em nossas ruas ”, acrescentou.