Da redação

Devem comparecer à reunião os governadores dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Roraima, Pará, Rondônia e Tocantins

O Tocantins vai sediar a 18ª edição do Fórum de Governadores da Amazônia Legal nesta quinta, 1º de agosto, e sexta-feira, 2, em Palmas. O evento vai reunir nove governadores das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país, além de secretários de Estado e técnicos que vão debater o papel, a importância e as oportunidades para o desenvolvimento sustentável da região e também o alinhamento do planejamento estratégico do grupo para este segundo semestre deste ano.

Devem comparecer à reunião os governadores dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Roraima, Pará, Rondônia e Tocantins.

Programação

Nesta quinta-feira, o evento iniciará às 8h30, no Instituto de Contas do Tribunal de Contas do Estado (TCE/TO), com o credenciamento dos presentes. Às 8h45 está previsto o início das reuniões das Câmaras Setoriais (Comunicação Pública; Consórcio Interestadual; Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, e Segurança Pública) e reunião do Conselho de Administração.

Na pauta da Reunião Ordinária do Conselho de Administração está o planejamento estratégico, proposta de cooperação do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), implementação da carteira de projetos, acompanhamento da agenda de trabalho das câmaras setoriais, assuntos administrativos, Estatuto e Carta de Palmas.

Já as Câmaras Temáticas vão se reunir para debater e elaborar o plano de ação setorial para o segundo semestre de 2019. Os eventos do dia 1º devem se encerar às 18h30, com os fechamentos das proposições e encaminhamentos finais.

VEJA TAMBÉM
Carta de Palmas: governadores se comprometem a frear avanço do desmatamento ilegal na Amazônia Legal

Nesta sexta-feira, 2, os chefes de Estado serão recepcionados pelo governador do Tocantins, Mauro Carlesse, às 8h15, para um café da manhã privativo, em seu gabinete, no Palácio Araguaia, em Palmas. Às 8h45, ocorrerá na Sala de Reunião do Palácio Araguaia, a 2ª Reunião Ordinária da Assembleia Geral do Consórcio Amazônia Legal, com a presença dos conselheiros, onde serão tratados assuntos internos e deliberações da pauta do Conselho de Administração e Câmaras Setoriais.

Às 9h20, também na Sala de Reunião do Palácio Araguaia, haverá reunião dos governadores e conselheiros com representantes da Cooperação Internacional. Na ocasião, eles vão debater o papel, a importância e as oportunidades para o desenvolvimento sustentável da Amazônia Legal. A partir das 10 horas, está previsto que os governadores deixem o Palácio Araguaia rumo ao Ahãdu Eventos. Das 10h15 às 10h45, os chefes de Estado irão conceder entrevista coletiva para veículos de imprensa.

O Fórum deve ter início às 10h45 e contará com falas das autoridades, anúncio das deliberações da Assembleia Geral, apresentação Planejamento Estratégico e assinatura da Carta de Palmas. O evento está previsto para ser encerrado às 12h30.

VEJA TAMBÉM
Carta de Palmas: governadores se comprometem a frear avanço do desmatamento ilegal na Amazônia Legal

GCF

O Tocantins está sediando nesta quarta-feira, 31, o encontro da Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Floresta (GCF). O evento está sendo realizado em Palmas.

O Comitê Diretivo da Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Floresta está debatendo as ações da plataforma para o próximo semestre e acompanhamento das agendas estratégicas de gestão ambiental dos estados membros. A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) representa o Tocantins no Comitê desde 2012.

Durante o encontro, assuntos como Fundo Amazônia, Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e Licenciamento Ambiental serão abordados pelos nove secretários de Meio Ambiente que constituem a Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Rondônia, Roraima, Pará e o Tocantins.

Sobre o Fórum

O Fórum de Governadores da Amazônia Legal foi criado em 2008, sendo o estado do Pará o primeiro anfitrião do evento. O objetivo do Fórum é discutir propostas comuns de desenvolvimento sustentável que possam ser implementadas pelos nove estados que compõem a região.

Ao final de cada encontro, os governadores elaboram uma carta contendo as principais demandas comuns a todos os estados, a fim de que as reivindicações sejam evidenciadas à sociedade civil e Poderes constituídos.