Da redação

Polícia Federal cumprindo mandados da operação O Mecanismo — Foto: PF/Divulgação

Uma operação da Polícia Federal foi iniciada na manhã desta quinta-feira (8) para investigar crimes de corrupção, peculato e organização criminosa envolvendo agentes públicos em municípios do Tocantins. São 32 mandados de intimação e 27 ordens de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região. A ação policial foi chamada de O Mecanismo.

De acordo com a PF, a operação tem o objetivo de fortalecer provas em um inquérito já existente. Os investigados vivem em Palmas, Paraíso do Tocantins, Novo Acordo, Recursolândia, Santa Tereza, Lizarda e Lagoa do Tocantins, e em Santa Cruz de La Sierra (Bolívia). Cerca de 120 policiais federais participam da operação.

+ Operação Diamba: PF cumpre mandados em Araguaína e Colinas contra tráfico de drogas

+ PF descobre quem pagou o advogado de Adélio, autor da facada em Bolsonaro, diz jornalista

Segundo informações da PF ao G1/TO, a investigação aponta que empresas de Palmas, que mantêm contrato de manutenção em carros oficiais e fornecimento de peças automotivas com municípios do Tocantins, têm feito transferências de dinheiro e outras vantagens para servidores municipais comissionados, parentes e pessoas próximas dos prefeitos dos municípios com quem possuem contratos.

VEJA TAMBÉM
PF cumpre mandados contra grupo suspeito de aplicar golpes pela internet

Ainda de acordo com a PF, além de pagamentos em conta corrente, o repasse de vantagens indevidas também era feito feito por meio de pagamentos de despesas pessoais como contas de telefones, IPVA, mensalidades escolares, entre outras.

Os recursos investigados são oriundos do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação e Fundo Municipal de Saúde (SUS). Ainda não foi informado o tamanho do prejuízo aos cofres públicos.

O nome da operação faz referência a um seriado brasileiro que explora o crime de corrupção praticado por agentes públicos e empresários.