Redação JM Notícia

Cidade de Buenaventura, na Colômbia, onde os cristãos enfrentam perseguição por parte de grupos criminosos

A perseguição a cristãos na Colômbia não tem relação com a diferença de tratamento com minorias religiosas, como acontece em vários países, mas sim uma luta política de grupos armados e cartéis de drogas que veem a igreja cristã como inimiga.

Só em 2019 os cristãos em Buenaventura foram alvos de oito ataques violentos, duas igrejas destruídas, um assassinato e vários casos de ameaças, extorsão e abuso.

De acordo com o pastor Harold Arias, líder da Igreja da Salvação, grupos armados, guerrilheiros, milicianos, gangues criminosas e cartéis de drogas “veem a igreja como um inimigo a ser erradicado, porque pregação e ação corajosa dos pastores, muitos jovens renunciaram ao conflito armado e às operações ilegais”, disse ele ao site Evangelico Digital.

Fora isso, em lugares onde a igreja cristã mantém uma forte influência, os residentes são menos inclinados a fazer parte de operações criminosas. “Ao pregar a Palavra de Deus, a igreja cristã estabelece uma oposição direta aos propósitos dos grupos armados. Por essa razão, esses homens nos veem como uma ameaça”.

VEJA TAMBÉM
Esposo de Asia Bibi busca asilo nos EUA, Canadá e Reino Unido

Segundo a organização Portas Abertas, em meio a esse furacão de violência e conflito de interesses, os líderes cristãos permanecem firmes na fé , chamando as pessoas pelo arrependimento sincero e pela oportunidade de uma nova vida em Cristo.

O pastor Nelson González, da cidade de Buenaventura, declarou ao Portas Abertas que naquele país a pregação sempre foi difícil. “A proclamação do Evangelho nunca foi fácil, mas em nossa região é uma questão de vida ou morte. No entanto, não paramos”.

Um pastor, que preferiu não ser identificado, disse que a perseguição também se dá pelo fato de muitos jovens já terem deixado os grupos ilegais depois de se converterem e hoje lideram projetos da igreja.

“É por isso que os grupos ilegais geralmente perseguem esses líderes cristãos, eles os matam ou os forçam a voltar. Eles usam todo tipo de estratégias para atrair jovens para organizações criminosas, como promessas de dinheiro, motocicletas e mulheres, além de bruxaria”, revelou.