Da redação

O Partido BharatiyaJanata (BJP), que detém o poder no Parlamento e domina a maioria dos governos estaduais em toda a Índia, anunciou em 25 de julho a inauguração de um comitê de cinco membros para administrar uma ala cristã no estado de maioria cristã de Mizoram, no nordeste da Índia. “Somos acusados de ser um partido anti-cristão pela maioria das pessoas, incluindo todas as Igrejas em Mizoram”, disse o presidente do BJP em Mizoram, JV Hluna. “Para construir um relacionamento com todas as Igrejas e dizer-lhes que somos amigos dos cristãos, amigos de organizações cristãs, a célula missionária está sendo montada. Queremos dizer às pessoas que somos um partido secular que acredita na Constituição da Índia”.

Um ex-membro cristão da Comissão de Minorias de Délhi chamou o movimento BJP de “uma grande iniciativa”, mas a igreja cristã organizada está, para dizer o mínimo, cautelosa. “Os sinais estão aí para todo mundo ver. O partido sofreu um grande golpe nas eleições recentemente concluídas”, disse o reverendo Felix Anthony, porta-voz da Igreja Cristã na Índia. As aberturas aos cristãos, disse ele, junto com o recrutamento de um candidato cristão independente no ingresso de BJP de Mizoram, “é uma estratégia clara para remover a etiqueta anti-cristã do partido”.

VEJA TAMBÉM
Cantor sertanejo ouve a voz de Deus e abandona música secular

+ Falha em vestibular levou 23 jovens indianos ao suicídio

Como parte da iniciativa, o governo prometeu financiar peregrinações cristãs no exterior, a “mais alta cruz a ser construída em Mizoram”, e uma linha telefônica de ajuda 24 horas por dia. Entre a meia dúzia de pequenos estados que compõem o extremo nordeste da Índia, Mizoram é a única cuja assembleia estadual não é controlada pelo BJP nem é administrada em conjunto com ele. O partido nacionalista-hindu ganhou uma das 40 cadeiras da assembleia estadual para as eleições do ano passado e terminou em terceiro na disputa pelo lugar solitário de Mizoram no Parlamento. O estado é 87% cristão, um dos três estados de maioria cristã em um país que é esmagadoramente hindu.

Reunindo-se em 26 de julho em uma pauta separada, representantes da Igreja Presbiteriana da Índia, a Igreja Luterana, o Conselho de Igrejas Batistas, a Igreja do Norte da Índia, a Igreja do Nordeste da Índia e outros grupos cristãos responderam com ceticismo à iniciativa do governo. A linha direta de 24 horas, disse o grupo em uma declaração conjunta, seria usada pelo BJP para coletar informações sobre cristãos individuais.

VEJA TAMBÉM
Nãna Shara lança o clipe “Deus Vai Realizar Meus Sonhos”

No mesmo dia, Hluna anunciou que um membro do BJP da Assembleia Legislativa do estado de Rajasthan, no oeste da Índia, acusou os missionários cristãos de administrar “fábricas de conversão” em seu estado para atrair os hindus empobrecidos para o cristianismo. “Se eles são sérios, que eles coibam a perseguição aos cristãos nos Estados governados pela BPJ”, disse SajanGeorge, chefe do Conselho Global de Cristãos Indianos.

Índia é o 10º país na Lista Mundial da Perseguição e vem enfrentando, nos últimos anos, a maior onda de perseguição aos cristãos. O governo indiano já chegou a declarar que a até 2022 o cristianismo será eliminado do território indiano.