Da redação

De acordo com a ONU, 400 mil quenianos estão infectados pelo vírus, mas não sabem


Neste sábado (17), a Igreja Universal do Reino de Deus do Quênia realizou mais uma ação social naquela que, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), é a maior favela do mundo: Kibera, onde moram 2,5 milhões de pessoas. Entre as iniciativas, foram oferecidos testes gratuitos de HIV.

Estimativa da ONU aponta que há cerca de 1,5 milhão quenianos vivendo com HIV, dos quais 400 mil não sabem que estão infectados. No país africano, a Aids é a principal causa de morte entre crianças e jovens de 10 a 24 anos de idade. O diagnóstico é fundamental tanto para o tratamento, quanto para o controle do contágio.

+ Igreja Universal é homenageada em Sessão Solene na Câmara de Palmas

Kibera fica localizada na capital do Quênia, Nairóbi, e é composta por 12 municípios. A favela é quase dez vezes maior que a Rocinha, a maior do Brasil.

Nesse tipo de conjunto habitacional, com condições precárias de saneamento e infraestrutura, existem graves problemas de saúde pública. Levantamento da International Iniciative for Impact Evaluation apurou que 40% das crianças de Kibera sofrerão com diarreia em algum momento da sua infância.

VEJA TAMBÉM
Vereador Filipe Martins repudia declarações de Haddad contra líder religioso

A Universal do Quênia também oferecu, gratuitamente, exames oftalmológico, de nível de glicose e pressão arterial, além de sopa e pão.

(Com Unicom)