Da redação

Cleiton Pinheiro, presidente do Sisepe. Foto: Reprodução

O Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins (Sisepe) apresentou pedidos de abertura de investigações em diversos órgãos de fiscalização e controle nesta segunda-feira (19). Eles querem que um suposto esquema de corrupção do Plansaúde, plano que atende os funcionários públicos do estado, seja apurado. Os pedidos foram após áudios circularem nas redes sociais no fim de semana.

Os pedidos foram levados até o Ministério Público Estadual, o Tribunal de Contas do Estado, a Assembleia Legislativa e outros órgão. Nenhum deles foi analisado por enquanto. Uma das solicitações foi a recriação do Conselho Fiscal do fundo que administra os recursos do Plansaúde.

+ SISEPE-TO pede ao Governo que corrija MP da Data-base para o índice de 5,0747%

“Estamos falando de um fundo de mais de R$ 300 milhões com denúncias de ilegalidades e sem o mecanismo primordial de fiscalização: o Conselho Fiscal. É uma situação que não pode ser aceita”, disse o presidente do Sisepe, Cleiton Pinheiro.

O Governo do Estado pediu que sejam apresentadas provas a respeito do suposto esquema e disse que caso isso não ocorra, se tratam de denúncias vazias. No começo da noite publicou a recriação do Conselho Fiscal que estava desativado desde 2018 com os nomes dos novos conselheiros no Diário Oficial.

VEJA TAMBÉM
DPE vai à Justiça após Estado descumprir decisão e não pagar o Plansaúde

Posted by Sisepe-TO on Monday, August 19, 2019

(Com G1)