Filipe Martins faz moção de repúdio ao projeto que prevê poligamia e incesto: “estamos atentos”

Para Filipe Martins é perceptível o perigo que o projeto representa para a sociedade. “Tem meu repúdio e afirmo que vamos continuar atentos”, disse

Da redação

Para Filipe Martins é perceptível o perigo que o projeto representa para a sociedade. “Tem meu repúdio e afirmo que vamos continuar atentos”, disse. Foto: Katiuscia Gonzaga

O vereador de Palmas (TO), Filipe Martins (PSC) assinou na manhã desta quinta-feira, 22, uma moção de repúdio ao Projeto de Lei 3.369/2015, também conhecido como Estatuto das Famílias do Século XXI.

Diversas reportagens mostraram que o PL apresentado pelo deputado federal Orlando Silva (PCdoB-BA) abre brecha para a poligamia e ao incesto ao tentar redefinir o conceito de família. 

+ Apresentadas por Filipe Martins, leis que beneficiam mulheres palmenses já estão valendo

O projeto reconhece como família “todas as formas de união entre duas ou mais pessoas“, e “independente de consanguinidade”.

+ Jornalista cristão condena projeto que pode legalizar o incesto no Brasil

+ Comissão de Direitos Humanos pode aprovar lei que legaliza união poliafetiva e incesto

– São reconhecidas como famílias todas as formas de união entre duas ou mais pessoas que para este fim se constituam e que se baseiem no amor, na socioafetividade, independentemente de consanguinidade, gênero, orientação sexual, nacionalidade, credo ou raça, incluindo seus filhos ou pessoas que assim sejam consideradas – diz o projeto.

VEJA TAMBÉM
Vereador Filipe Martins prestigia celebração do 18º aniversário da IIR

Na prática, qualquer agrupamento de pessoas passaria a ser reconhecido como família diante do Estado, abrindo brechas para todo o tipo de relação.

Por conta da pressão nas redes sociais, Orlando Silva e Túlio Gadêlha retiraram o projeto de pauta afirmando que vão ajustar e reapresentar o texto.

Para Filipe Martins é perceptível o perigo que o projeto representa para a sociedade. “Tem meu repúdio e afirmo que vamos continuar atentos”, disse a parlamentar.