Da redação

Velório de cristãos vitimas do ódio e intolerância no mundo. Foto: Reprodução

Em maio deste ano, a Organização das Nações Unidas – ONU – aprovou uma resolução designando o dia 22 de agosto como o Dia Internacional das Vítimas de Atos de Violência Baseados em Religião ou Crença.

A data destina-se a fornecer um foco para abordar a crescente questão da violência baseada na religião ou crença.

+ Monumento da Reforma Protestante é vandalizado por LGBTs

+ Governo Bolsonaro vai à ONU contra a perseguição de cristãos

Pesquisas realizadas pela Portas Abertas e instituições parceiras, apontam que a intolerância e perseguição religiosa abrangem mais de 60 países no mundo e classifica a perseguição em extrema, severa e alta em 50 países em observação pela Lista Mundial da Perseguição. Segundo o estudo, países como Coreia do Norte, Afeganistão, Somália, Paquistão são classificados como extemos em nível de perseguição. O que não exclui os demais países que tem sua origem em religiões extremistas e que apresentam alta pontuação nas pesquisas. Governos que hostilizam cristãos e não aceitam outra religião senão a oficial, também configuram como fontes de perseguição nesses países.

VEJA TAMBÉM
ONU aceita denúncia de grupo gay contra cristãos por resistência ao aborto

Para a ONU, o foco em atos de violência pretende enviar uma mensagem muito clara de que nenhum ato de violência é aceitável, seja um único incidente ou atos de violência que sejam sistemáticos ou cometidos em massa.

O CEO da Portas Abertas, Dan Ole Shani, celebrou a instituição da data. “Portas Abertas apoia e celebra essa data para lembrar aqueles cujas vidas foram tragicamente afetadas pela violência, levadas a cabo simplesmente porque são da ‘religião errada’ ou se recusarem a negar sua fé”, disse. Ele ainda lembrou que a ação contínua há mais de 60 anos da Portas Abertas, vem apoiando e dando suporte a cristãos perseguidos pelo mundo. “Continuaremos a reunir a igreja livre em todo o mundo para nos unir à nossos irmãos perseguidos. Continuaremos a pedir a Deus que dê a seu povo força para se apegar a Ele por meio da perseguição”.

Lista Mundial da Perseguição 2019, relata que mais de 4.100 cristãos nesses 50 países foram mortos por razões relacionadas à fé (de novembro de 2017 a outubro de 2018). Deste, 3.700 somente na Nigéria. Outras tendências alarmantes apontam para a crescente violência e perseguição contra cristãos em todo mundo. 

VEJA TAMBÉM
Morte de jovem americano preocupa família de pastor canadense preso na Coreia do Norte

Nos últimos 12 meses, 2.800 cristãos foram mortos nos 50 países observados pelo estudo.