Filipe Martins defendeu o projeto e pediu que os parlamentares derrubassem o veto Foto Aline Batista

O vereador Filipe Martins (PSC) lamentou a votação que aconteceu na Câmara nesta quita-feira, 29, quando foi mantido o veto da prefeita Cinthia Ribeiro ao seu Projeto de Lei nº. 150 que barraria a cobrança de tarifa mínima de água em Palmas. 

Com a manutenção do veto, a BRK Ambiental, concessionária dos serviços de água e esgoto em Palmas, fica livre para cobrar tarifa básica, mesmo que o consumo seja menor que os dez metros cúbicos.

Oito vereadores votaram pela manutenção do veto, contra oito que optaram pela derrubada. Seriam necessários ao menos dez votos para derrubar o veto.

+ Câmara de Araguaína aprova requerimento para investigar BRK Ambiental

+ Câmara de Gurupi aprova CPI para investigar BRK Ambiental

+ Vereadores de Palmas voltam a questionar as atividades da BRK Ambiental: “Podemos derrubar este contrato”

“Nós só temos a lamentar o veto do executivo municipal pois era um projeto que beneficiaria a sociedade. Sendo assim, a população perde e continua no prejuízo”, destacou Filipe.

Martins lembrou que o PL seguiu todos os procedimentos éticos ao tramitar nas comissões e ser aprovado inicialmente na Câmara. Ele reforçou que é injustificável a cobrança abusiva por parte da BRK e que pretende reapresentar o projeto.

VEJA TAMBÉM
Copese será a empresa responsável pelo concurso público da Câmara de Palmas

“Não vou parar por aqui, foi pra isso que fui eleito, pra representar o povo de Palmas. Vamos continuar fazendo a nossa defesa, escutando os clamores das. Irei reapresentar o projeto. Esse momento é muito esclarecedor. Não é um veto que foi mantido, e sim uma possibilidade de avanço no combate às taxas abusivas que foi derrotada”, afirmou o parlamentar.