Da redação

A reunião foi um pedido do vereador Rogério Santos (PRB) e promovida pela Comissão de Políticas Públicas Sociais. Foto: Aline Batista

O Parlamento Municipal realizou nesta sexta-feira, 30, uma reunião com o objetivo de discutir e ampliar politicas públicas em defesa dos animais na capital. A reunião foi um pedido do vereador Rogério Santos (PRB) e promovida pela Comissão de Políticas Públicas Sociais.

Lilian Castilho, protetora independente, trouxe à tona as necessidades que enfrenta para cuidar dos animais.  “Os animais são amados e cuidados por nós diariamente, mas precisamos de ajuda para manter o nosso trabalho. É importante que o poder público entenda que a maior dificuldade de um cuidador enfrenta é a castração. Também nos preocupa para onde os animais recolhidos vão, a forma como serão tratados”, disse.

+ Câmara de Palmas realiza reunião pública em defesa dos animais

+ Câmara de Palmas aprova requerimentos em defesa dos animais

Solany Moreira se emocionou ao falar sobre os cuidados com os seus bichos. “Estamos aqui hoje muito felizes, pois abrindo as portas dessa Casa, podemos discutir os verdadeiros gargalos que os animais passam na cidade. O que poucas pessoas veem, eu vejo com meus olhos de cuidadora. Tenho mais de 50 animais”, enfatizou Solany.  

A presidente da Ong Adota Palmas, Kesia Abreu, falou também sobre o problema da castração de animais. “Desenvolvemos um trabalho há cinco anos e eu acho muito boa esta oportunidade para discutirmos os problemas e trazermos soluções para a causa. Um dos nossos maiores problemas é o pequeno número de castrações. Nós e a população carente não temos condições de levarmos todos os animais para castrar, por causa da dificuldade financeira”, explicou a presidente.

VEJA TAMBÉM
Câmara de Palmas vota projeto que dá status de polícia à Guarda Metropolitana
O Parlamento Municipal realizou nesta sexta-feira, 30, uma reunião com o objetivo de discutir e ampliar politicas públicas em defesa dos animais na capital

Na oportunidade, o vereador Rogério Santos (PRB) apresentou para os participantes seus requerimentos e projeto de lei que envolve a proteção para os animais como: o pedido ao Centro de Controle de Zoonoses a ampliação do número de castrações; o fim da eutanásia como controle populacional; construção de um recanto de lazer para todos os animais, o chamado “Parcão” e o PL que pede o acréscimo de multas para quem maltrata animais.

“Toda norma se torna mais eficaz quando tem a participação das pessoas de fato envolvidas, e esta reunião tem sido um exemplo disso, recebemos fundamentação e argumentos para melhor elaborarmos normas em defesa dos animais”, ponderou Santos.

Na ocasião, o vereador Folha (PSB) falou sobre a importância dos investimentos do poder público para os cuidados com os animais e citou a empresa BRK Ambiental. “A BRK explora o meio ambiente do município e devolve cerca de 5% do lucro para a Fundação Cultural, que não tem nada a ver com o meio ambiente, por isso, vamos agir junto ao Executivo e fazer com que estes recursos sejam destinados para o meio ambiente”, destacou.

VEJA TAMBÉM
Sessão solene na Câmara de Palmas celebra os 500 anos da Reforma Protestante

O parlamentar aproveitou ainda a oportunidade para falar que destinará emenda para as Ongs da Capital. “Doarei via emenda impositiva R$ 100 mil para as Ongs que cuidam dos animais. Vamos colocar no orçamento do ano que vem, pois vocês, que cuidam verdadeiramente dos animais, tiram do bolso por amor para seguir. Contem com essa Casa de Leis”, afirmou.

Dados da Secretaria Municipal de Saúde informam que neste ano 4978 animais foram examinados pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) em Palmas e 965 deles com resultado positivo para o calazar.

Estiveram presentes no evento o Secretário Municipal de Saúde, Daniel Borine; o coordenador do CCZ, Auriman Cavalcante Rodrigues; o presidente da Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais da Ordem dos Advogados do Tocantins, Dr. Ademir Teodoro de Oliveira; Sebastião Donizete, da Universidade Federal do Tocantins; o Guarda Ambiental, Carlos Lima; o coordenador de zoonoses de Gurupi, Henrique Alencar; Pedro Alexandre e Francisco Vieira, do centro de zoonoses de Gurupi; Pericleon, tesoureiro do Conselho de Medicina Veterinária; Maria de Fátima Ribeiro, representante do Naturatins; outros representantes, protetores que trabalham em defesa dos animais e estudantes de Direito e Medicina Veterinária.