Empresa Júnior: conheça a geração de universitários empreendedores

Ao ingressar em uma graduação, o estudante passa por um processo de aprendizado intenso. Ao longo do curso, é preciso colocar na prática o que foi ensinado em sala de aula. Para isso, existem as empresas júniores ou EJ’s, associações sem fins lucrativos geridas por estudantes universitários com um único propósito: empreender para adquirir conhecimento. Em todo Brasil, existem cerca de 900 empresas com mais de 22 mil associados, de acordo com a Brasil Júnior (Confederação Brasileira de Empresas Júniores), associação que representa nacionalmente esse movimento. 

Duélen Feijó é graduanda em Engenharia de Alimentos e presidente executiva da Federação das Empresas Juniores do Estado do Rio Grande do Sul (FEJERS) e analisa o movimento como uma potencialização do novo mercado. “Acho que o Brasil é um país que precisa muito de iniciativas empreendedoras para que a gente consiga de alguma forma mudar muitas realidades. Com o empreendedorismo conseguimos trazer novas caras para o mercado, novos produtos e aquecer a economia do país”, diz a estudante.

VEJA TAMBÉM
Governo promove seminário sobre gênero em escolas a partir desta terça, 17

As EJs foram responsáveis por produzir, aproximadamente, 18 mil projetos, em sua maioria para pessoas físicas (32,1%) e microempresas (31,1%). As pequenas empresas somam 17,6%, os empreendedores individuais 13,2%, as médias empresas 3,2% e os órgãos públicos 2%. Apenas 0,8% foram para grandes empresas.

A estudante de Engenharia Florestal Iara Oliveira, passa pela experiência empreendedora como gerente de processos na Empresa de Consultoria Florestal Júnior (EMCOF) e ressalta o desejo de mudar a realidade atual através dos conhecimentos adquiridos em sala de aula e através de capacitações e consultorias com pós-juniores e professores. “O que aprendemos na sala de aula, aplicamos na empresa júnior de forma prática. Muitas vezes, os alunos têm o conhecimento, mas não sabem aplicar para o mercado. E a empresa júnior vem com a intenção de mudar essa realidade, contribuindo para que as pessoas saiam da faculdade com essa experiência”, relata.

Para o futuro, Iara almeja que a empresa seja reconhecida dentro do setor agrário, ambiental e florestal. “Quero que a EMCOF continue a fazer projetos que impactem, seja aquele produtor rural do interior do estado do Amazonas ou aquela pessoa no topo da sociedade”, conclui.

VEJA TAMBÉM
Léo Barbosa e representantes da UFT discutem implantação de cursos EAD em Taquaruçu

Como iniciar uma empresa júnior?

Para uma empresa júnior começar é preciso estar filiada a uma associação do estado. O processo de federação é realizado através do PUF – Programa Único de Federação e, a partir disso, as empresas juniores são acompanhadas desde a fase de iniciativa até o processo de fundação, recebendo suporte com mentorias para alavancar resultados e superar os desafios dos critérios de federação.

Encontro Nacional de Empresários Juniores – ENEJ

Entre os dias 04 e 07 de setembro, acontecerá 26ª edição do Encontro Nacional de Empresários Juniores (ENEJ) no ExpoGramado, em Gramado (RS). O evento contará com workshops, cases, rodas de discussão, minicursos com grandes nomes do mercado e mais de 60 palestrantes. O encontro é realizado anualmente pela Brasil Júnior e simboliza o impacto do movimento empresa júnior (MEJ) no país. O ENEJ tem caráter itinerante e acontece cada ano em um estado diferente no Brasil.

Agência Educa Mais Brasil