Da redação

Anderson e Flordelis: família do pastor acredita no envolvimento de deputada Foto: Reprodução

A mãe e a irmã do pastor Anderson do Carmo, assassinado a tiros em junho deste ano, entraram com um pedido na 3ª Vara Criminal de Niterói pedindo para virarem assistentes de acusação no processo no qual dois filhos da deputada federal Flordelis dos Santos são réus pelo crime. A solicitação foi feita no último dia 19, mas ainda não houve decisão judicial. O Ministério Público estadual deu um parecer na última segunda-feira afirmando que não se opõe à solicitação.

+ “Vou matar esse demônio”, disse filha de Flordelis sobre pastor

+ Amante diz que filha de Flordelis quis assassinar o pai: ‘Vou matar esse demônio. Minha mãe não aguenta mais’

+ Filha afirma que Flordelis sabia de plano para matar pastor Anderson

O advogado de Maria Edna do Carmo, mãe do pastor, e Michele do Carmo, irmã, afirma que a família acredita no envolvimento de Flordelis no crime e quer colaborar com o processo. De acordo com Angelo Máximo, os familiares de também pretendem se habilitar como assistentes de acusação após a finalização do segundo inquérito do caso, no qual a deputada federal está sendo investigada.

VEJA TAMBÉM
Flordelis se manifesta após decisão do STF em manter investigação na DH de Niterói

– A família não teve oportunidade de colaborar com a investigação da Polícia Civil, então quer colaborar com a instrução criminal (do processo). Aguardamos também a conclusão desse segundo inquérito para novamente pedirmos para atuar como assistentes de acusação. A família acredita que Flordelis foi mandante do crime, conforme depoimentos prestados pelos próprios filhos dela, e que será indiciada – afirma o advogado.

Ao menos quatro filhos de Flordelis prestaram depoimentos nos quais afirmaram acreditar na participação da deputada federal no crime. Um deles, Wagner Andrade Pimenta, conhecido como Misael, disse que a mãe foi a “mentora intelectual” do assassinato. Há ainda relatos dos filhos acusando Flordelis de tentar envenenar Anderson. Em seu depoimento à polícia, a mãe do pastor, Maria Edna, também disse que Flordelis está envolvida no crime.

(Com Extra)