Redação JM Notícia

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), anualmente, mais de 800 mil pessoas tiram a própria vida, números que estão diminuindo no mundo, mas aumentando no Brasil.

Com o suicídio do pastor Jarrid Wilson levantou o debate entre as igrejas evangélicas e muitos artistas cristãos comentaram o caso, como a cantora e pastora Michelle Nascimento que confessou sofrer de depressão e ter pensamentos suicidas.

“Depressão e pensamentos suicida é a coisa mais triste e dura que podemos passar eu passo ainda por isso. Vc sabia? Minha luta não é fácil. Eu levanto a bandeira e entro nessa guerra pelos meus irmãos”, disse ela.

Reconhecer que tem um problema e procurar ajuda é a melhor forma de vencer a depressão. Por isso a OMS declara que nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas, desde que as pessoas estejam dispostas e procurar apoio e que as pessoas em volta estejam atentas para notar os sinais.

“Muitas pessoas em risco de suicídio estão com problemas em suas vidas entre os desejos de viver e de acabar com a dor psíquica. Isolamento, mudanças marcantes de hábitos, perda de interesse por atividades de que gostava, descuido com aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite, frases como ‘“preferia estar morto’” ou ‘quero desaparecer’ podem indicar necessidade de ajuda”, explica o psiquiatra Caio Pinheiro da Cia de Consulta em São Paulo.

VEJA TAMBÉM
Cúpula do Senado é iluminada em amarelo em apoio à prevenção do suicídio

Ainda segundo ele, é preciso investigar e buscar um especialista, sempre que possível. Quando identificado, o profissional de saúde pode ajudar a diminuir o risco de suicídio.

View this post on Instagram

@jarridwilson 💛 Ninguém pode julga-lo pois sabemos que a luta não é fácil. Depressão e pensamentos suicida é a coisa mais triste e dura que podemos passar eu passo ainda por isso. Vc sabia ? Minha luta não é fácil. Eu levanto a bandeira e entro nessa guerra pelos meus irmãos. #setembroamarelo @andrevaladao @rodrigoassuncaodoutor #depressao #Suicidio #depressaonaoéfrescura A depressão é um transtorno mental frequente. Em todo o mundo, estima-se que mais de 300 milhões de pessoas, de todas as idades, sofram com esse transtorno. A depressão é a principal causa de incapacidade em todo o mundo e contribui de forma importante para a carga global de doenças. Mulheres são mais afetadas que homens. No pior dos casos, a depressão pode levar ao suicídio. Existem vários tratamentos medicamentosos e psicológicos eficazes para depressão. A depressão é um transtorno comum em todo o mundo: estima-se que mais de 300 milhões de pessoas sofram com ele. A condição é diferente das flutuações usuais de humor e das respostas emocionais de curta duração aos desafios da vida cotidiana. Especialmente quando de longa duração e com intensidade moderada ou grave, a depressão pode se tornar uma crítica condição de saúde. Ela pode causar à pessoa afetada um grande sofrimento e disfunção no trabalho, na escola ou no meio familiar. Na pior das hipóteses, a depressão pode levar ao suicídio. Cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio a cada ano – sendo essa a segunda principal causa de morte entre pessoas com idade entre 15 e 29 anos. Embora existam tratamentos eficazes conhecidos para depressão, menos da metade das pessoas afetadas no mundo (em muitos países, menos de 10%) recebe tais tratamentos. Os obstáculos ao tratamento eficaz incluem a falta de recursos, a falta de profissionais treinados e o estigma social associado aos transtornos mentais. Outra barreira ao atendimento é a avaliação imprecisa. Em países de todos os níveis de renda, pessoas com depressão frequentemente não são diagnosticadas corretamente e outras que não têm o transtorno são muitas vezes diagnosticadas de forma inadequada, com intervenções desnecessárias.

A post shared by Pastora Michelle Nascimento (@michellenasc) on