Redação JM Notícia

Casamento religioso na Indonésia | Foto: Pixabay

O novo código penal aprovado na Indonésia criminaliza o sexo fora do casamento, além de outros pontos polêmicos como insultar a dignidade do presidente e praticar atos obscenos.

Homens e mulheres que vivem juntos sem serem casados podem ser condenados a prisão por seis meses. No caso de adultério, a aldeia deve registrar o caso à polícia ou mesmo os filhos do casal e o traidor será punido. Para os políticos, a “vítima do adultério também é a sociedade” e, por isso, o traidor deve ser punido.

Além disso a lei, que começa a valer na próxima terça-feira (24), também criminaliza atos obscenos, que seria a violação das normas de decência por meio de “luxúria ou sexualidade”. Para ativistas LGBTs essa parte da lei pode prejudicá-los, mesmo que na Indonésia não seja crime ter relações homossexuais, algumas províncias chicoteiam gays em praça pública.

A Indonésia é o país com a maior população muçulmana do mundo, tendo uma forte presença de hindus, budistas e uma minoria cristã que é bastante perseguida, tanto que o país está na 30ª posição na Lista de Perseguição Religiosa do Portas Abertas, subindo oito posições em relação ao ano passado.