Da redação JM

O ex-governador Marcelo Miranda (MDB) chegou em Palmas por volta das 12h20 em um avião da Polícia Federal que não estava identificado. Ele foi preso em Brasília em cumprimento a um mandado de prisão preventiva da operação 12º Trabalho. Ao lado do pai, Brito Miranda, e do irmão, José Edmar Brito de Miranda, o político é suspeito de integrar uma organização criminosa que teria causado prejuízo de R$ 300 milhões aos cofres públicos. Entre os crimes investigados estão corrupção, fraude em licitações e desvio de recursos públicos.

As prisões preventivas dos três investigados não têm um prazo determinado e dependem da existência dos requisitos legais para sua manutenção. O ex-governador deverá ficar detido em sala do estado maior a ser indicada pelo Comando-Geral da PM do Tocantins. Os três alvos também ainda devem passar por audiência de custódia na tarde desta quinta-feira (26), a partir das 13h, no prédio da Justiça Federal em Palmas.

José Edmar Brito Miranda, de 85 anos, foi preso em um apartamento em Palmas. O irmão do ex-governador, José Edmar Brito Miranda Júnior, também teve a prisão decretada e foi encontrado em Santana do Araguaia (PA).

A esposa de Marcelo, deputada federal Dulce Miranda disse que acredita na inocência do marido.

Confira a nota:

Nota imprensa

A respeito das acusações que pairam sobre meu marido e pai dos meus filhos, Marcelo Miranda, eu não tenho acesso ao processo investigativo. Como esposa, tenho plena convicção da inocência e da integridade dele. Estendo esta mesma confiança ao meu sogro, Brito Miranda, e ao meu cunhado, Júnior.

Dulce Miranda

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here