Atende clientes em casa? Veja como deixar o ambiente com um ar sofisticado e elegante

A parcela da população brasileira sem emprego apresentou uma ligeira queda recentemente – de 13,1 milhões para 12,6 milhões. Essa queda, no entanto, foi ocasionada pelo aumento da informalidade, que já atinge 41,3% dos cidadãos ocupados, em um recorde histórico. Com esse andamento, cada vez mais pessoas buscam novas formas de trabalhar em casa, articulando maneiras alternativas ao trabalho tradicional.

Conceber um ambiente de trabalho agradável é pré-requisito essencial para manter uma boa produtividade que resulte em resoluções satisfatórias, gerando uma combinação entre bem-estar, comodidade e serviço. Uma atmosfera agradável, com iluminação apropriada, jogo de poltronas confortáveis e planejamento funcional são pontos compositores desse estilo.

Quando o serviço ofertado viabiliza a ida de clientes até o recinto, a importância de transmitir aspectos adequados torna-se ainda mais indispensável. Afinal, sua casa é, de certa maneira, um estabelecimento comercial, e como qualquer outro negócio que preze bons resultados e repercussões satisfatórias, é dever primordial desenvolver uma comunicação visual a partir de suas estruturas.

Mas como receber clientes em casa?

As dificuldades financeiras, como mencionado, são as maiores formadoras de trabalhos autônomos. Por consequência, qualquer condição que prejudique os ganhos mensais deve ser dispensada, o que implica também no profissional. Independente do segmento em que atuará, o ambiente deve ser preparado a fim de oferecer uma reprodução mais próxima possível de um empreendimento.

Comece analisando tudo aquilo que está em excesso, até porque vale mais a pena ter uma casa mais vazia, com peças boas, do que um ambiente plenamente decorado e não tão profissional.

Pense nos elementos centrais, analisando o que realmente é necessário, como mesa, cadeiras e sofás. Não há necessidade de descartes, uma vez que a orientação principal é tentar fazer o melhor uso dos móveis, restaurando e reconfigurando aparências.

Planejando e configurando o ambiente

O preparo do local é o grande segredo. Montar um espaço elegante e sofisticado em casa não é um desafio tão grande. Uma moradia por si só já possui um ar de informalidade embutido, e isso não deve transparecer como falta de profissionalismo.

Distribuir bem o espaço de cada cômodo é o que deixa a casa e o local de trabalho equilibrados. Isso não implica na necessidade de compartimentos grandes e ostensivos, uma vez que espaços pequenos repletos de estilo e afirmação requerem planos abertos e ambientes conectados. O segredo é privilegiar a locomoção, a circulação do ar, e fazer com que os espaços se encaixem entre si, gerando fluidez.

Apostar em uma paleta equilibrada de cores faz toda a diferença na composição do local, além de passar ao cliente a personalidade do serviço oferecido. Escolha cores não muitos saturadas, como as claras e médias. As nuances mais escuras conferem certa quietude e relaxamento, dando atitude ao ambiente. Já o branco reflete a luz e deve vir acompanhado de algumas texturas mescladas para não parecer monótono.

Harmonização e composição

Há sempre a possibilidade de combinar plantas, tecidos e elementos compositores. Papéis de parede também podem oferecer vivacidade ao local, valorizando os móveis. Molduras e objetos dão origem a um efeito decorativo mais harmonioso, com fotos e  quadros que podem, também, ser destacados com livros e ilustrações.

A iluminação deve se adequar ao trabalho realizado e, no caso do home office com clientes, a luz natural pode não ser a melhor escolha, pois acaba sofrendo com constante mudanças, alterando  sombras e contrastes.

Já os tapetes fazem com que a casa fique mais “vestida” e completa, sendo uma  ótima pedida para esconder imperfeições no assoalho. Aqui, os tecidos naturais caem muito bem. Caso o piso seja antigo, valorize-o com toques de modernidade na decoração, e lembre-se: tacos estão sempre no estilo!

Os desafios de trabalhar em casa

Todos os arranjos citados são princípios testados, mas que devem ser estudados e implementados com o objetivo de acrescentar e, principalmente, integrar os termos “casa” e “trabalho”.

O trabalho informal feito em casa vem sendo a salvação financeira de muitas pessoas. Com a reforma trabalhista aprovada em 2017, os “bicos” ganharam respaldo legal, interferindo diretamente na economia do país, conforme sugerido pelos dados apresentados no início do texto.

O avanço da informalidade é reflexo perfeito de uma crise que perdura no Brasil desde 2014. Salvação de uns, sonho de outros, trabalhar em casa é um desafio que causa embates. A menor dificuldade apresentada é, por fim, montar um ambiente harmonioso e sofisticado.