Da redação

O teólogo americano John Piper disse que, embora o inferno seja “indescritivelmente terrível” para todos os incrédulos, há cinco razões para algumas sofrerem mais do que outras.

Em um episódio de “Pergunte ao pastor John” publicado em Desiring God on Tuesday, o chanceler e professor do Bethlehem College and Seminary declarou que as Escrituras revelam que haverá “graus de sofrimento no inferno”.

“Será indescritivelmente terrível para todos os que lá vão – apenas indescritivelmente terríveis, sem nenhuma experiência de bem, sem visão de beleza, sem sons agradáveis, sem prazeres corporais, sem apetites gratificados, sem desejos satisfeitos, sem esperanças cumpridas. É todo mundo – disse Piper. 

+ John Piper: “Não existe tal coisa como casamento gay”

+ John Piper alerta: “casais que defendem fornicação devem ser disciplinados”

“Mas, embora o inferno seja inútil para todos os incrédulos, será pior para alguns.”

Romanos 2: 5, por exemplo, nos diz que “devemos guardar tesouros no céu, fazendo boas ações dia após dia”, disse Piper. No entanto, os incrédulos fazem o contrário e acumulam ira por si mesmos no dia “em que o justo julgamento de Deus será revelado”.

Piper então identificou cinco razões pelas quais algumas sofrerão mais no inferno do que outras.

Primeiro, Lucas 12:48 declara que “a quem muito é dado, muito será necessário.” Assim, “quanto mais luz você tem, mais conhecimento você tem, mais verdade você tem, pior seu pecado e punição ao rejeitar. “, disse Piper, acrescentando:” Isso está aí nos textos. “

Segundo, quanto mais “bondade Deus lhe mostrar” em “dar-lhe muitos prazeres imerecidos nesta vida”, “mais dolorosas serão suas descrenças e pecados, e pior será sua punição no inferno”, disse ele. 

Terceiro, aqueles que rejeitam continuamente a luz e a bondade experimentarão um sofrimento pior no inferno: “Em outras palavras, o tempo entra em cena”, explicou o pastor. “Dia após dia após dia, você continua rejeitando luz após luz após luz, bondade após bondade após bondade. Quanto mais isso durar, piores serão as coisas. ”

VEJA TAMBÉM
John Piper: "Precisamos ser sinceros com nossos familiares não salvos"

Quarto, Piper argumentou que certos pecados são “mais hediondos, mais destrutivos, mais blasfemos do que outros.” Assim, “não apenas a quantidade de pecados com o tempo piora as coisas, mas também o grau de feiura e horror, hediondeza e blasfêmia também. aumenta o sofrimento. “

Quinto, certos indivíduos demonstram maior arrogância, maior desafio consciente e mais insolência do que outros, e, portanto, sofrerão um maior grau de punição, afirmou o autor de Don’t Waste Your Life .

Todas essas cinco razões devem “nos enviar tremendo de alegria à cruz de Jesus e à graça de Deus, que se apega a nós no perdão que a cruz dá”, disse Piper. 

“Eles nos tornam seriamente vigilantes para não usarmos mais luz e verdade”, disse ele. “Devemos nos esforçar para que a verdade que vem a nós não venha sem nos humilhar, construindo nossa fé, aumentando nosso amor. desperdice a preciosa luz que Deus lhe dá em sua palavra e em seu mundo. ”

Piper também aconselhou os leitores a serem “seriamente vigilantes para não abusar de todos os prazeres desta vida, tratando-os como Deus ou como uma distração de Deus”; procurar “acumular o fruto da justiça”; e “ser seriamente vigilantes sobre nosso orgulho. “

De acordo com um estudo de 2015 do Pew Research Center, enquanto 74% dos americanos acreditam no céu, apenas 1 em cada 4 acredita que aqueles que não conhecem a Cristo passarão a eternidade em um lugar chamado inferno.

Em um sermão recente , o pastor sênior da Life.Church Craig Groeschel disse que, se ele fosse o diabo, tentaria convencer os humanos de que não há inferno. Mas se for real, “não vamos levar a sério e vamos acreditar que a maioria das pessoas não iria para lá”.

VEJA TAMBÉM
Pastor africano desmente que foi ao inferno: “invadiram meu Facebook”

“Se eu pudesse convencê-lo disso, provavelmente você viveria como quiser”, explicou. “Você justificaria seu pecado, rejeitaria Cristo, viveria sem verdadeiro medo de Deus.”

“Se você é um seguidor de Cristo e posso convencê-lo de que o inferno não é real ou não é tão importante, você viveria vidas ridiculamente egocêntricas”, continuou ele. “Você provavelmente idolatrava conforto e se apaixonaria por este mundo, rejeitaria o sacrifício, evitaria a perseguição, amaria agora e provavelmente não compartilharia sua fé com muitas pessoas e não teria um senso real de urgência espiritual. . ”

Groeschel descreveu o Inferno como um “fogo eterno sem parar com tortura ou sofrimento e dor sem fim”. Enquanto muitas pessoas têm um problema com a idéia de um Deus bom enviando “pessoas boas” para o Inferno, é importante entender que ninguém é “bom” . ”

“Se você, por um momento, estivesse diante da santidade de Deus, reconheceria a profundidade de sua maldade”, disse ele. “Por natureza, somos pecadores. Todos nós pecamos. Temos que reconhecer isso sobre Deus. Ele é santo e ele é justo. Ele não pode ser santo sem ser justo, e porque Ele é justo, ele deve punir as más ações. ”

Mas Deus também é amor, enfatizou o pastor e demonstrou Seu amor enviando Cristo para morrer pela humanidade.

“Satanás é um ladrão, e ele é um mentiroso que vem apenas para roubar, matar e destruir”, concluiu Groeschel. “Jesus disse: ‘Eu vim para que eles tenham vida e vida em abundância.’ É por isso que queremos que as pessoas o conheçam, não apenas para evitar os horrores do inferno, mas para experimentar a graça, a bondade, o poder, o amor, a misericórdia, a santidade, a justiça e o amor de um Deus bom. ”

(Com Christian Post)