Redação JM Notícia

O deputado federal Eli Borges (SD-TO) usou a tribuna da Câmara dos Deputados para mostrar sua indignação contra a revista Época que ligou igrejas evangélicas e traficantes do Rio de Janeiro.

A reportagem de capa da edição 1110, de 14 de outubro de 2019, traz o título “Como a expansão de uma facção de traficantes evangélicos faz explodir ataques a outras religiões em favelas do Rio”.

O deputado entende que a reportagem traz uma visão distorcida do que realmente significa o Evangelho. “Quero deixar aqui a minha palavra de repúdio a este posicionamento isolado de alguém que escreve para uma revista que se diz tão importante”.

Eli Borges contesta que exista evangélicos traficantes. “Eu não vejo nenhum gesto de fé para quem usa fuzil para impor o seu sentimento, para impor sua visão de tráfico. Não existe fé nesse camarada. É um caso meramente isolado e toda a visão desse cidadão está no plural como se fosse os mais de 60 milhões de evangélicos do Brasil”.

VEJA TAMBÉM
Detran desmente mensagens sobre emissão gratuita de CNHs

+ Michelle Bolsonaro divulga campanha de combate ao suicídio e automutilação

+ Damares defende imunidade tributária das igrejas e alerta sobre preconceito contra evangélicos

+ Deputado Otoni de Paula repudia ativismo LGBT pelo lançamento de bonecas sem gênero

O parlamentar tocantinense também se revoltou pela reportagem não mostrar o trabalho que os evangélicos fazem no Brasil, recuperando dependentes químicos e muitos trabalhos sociais.

“Esse cidadão que se diz evangélico, mas não é, e que deve ir para cadeia pelo que faz, e a revista quer dizer que ele representa os milhões de evangélicos do país”, completa.

Assista: