Pastor José Alves Cavalcante, presidente da COMADESMA

Açailândia/MA – O pastor da Igreja Assembleia de Deus de Açailândia, José Alves Cavalcante, presidente da Convenção COMADESMA, foi vítima dos crimes de calúnia, injúria e difamação, condutas configuradas, principalmente, nas redes sociais com a publicação de um vídeo onde a fala do reverendo foi editada, segundo informações da assessoria da AD Comadesma de Açailândia.

Ainda de acordo com a assessoria da AD Comadesma,o vídeo editado dá a entender que o mesmo estava sendo descortês, indelicado e intransigente ao falar com os pastores e líderes na 32ª AGO da COMADESMA que aconteceu na cidade de Açailândia -MA nos dias 10 a 13 de julho do corrente ano.

Por meio de nota, a diretoria da igreja afirmou que “Tendo em vista tamanha injustiça perpetrada em desfavor de seu pastor presidente, a Diretoria da Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Açailândia, divulgou nota repudiando veementemente o ato bárbaro, insano e covarde praticado contra a pessoa e a honra do pastor José Alves Cavalcante”.

Saiba + Comadesma homenageia presidente da Assembleia Legislativa do MA

VEJA TAMBÉM
Pastor Sóstenes Telles completa 26 anos nesta terça-feira (15)

+ Saiba COMADESMA inicia nesta quarta a 32ª AGO em Açailândia

Perfil Fakes

A nota de repúdio diz que alguns criminosos fazendo uso de perfis fakes, anônimos, divulgaram na madrugada de sexta-feira (12) para sábado (13) em diversos grupos de whatsapp e na rede social Facebook, um vídeo editado de forma grosseira, tendencioso, com claros propósitos de atingir a imagem e a honra do deputado estadual pastor José Cavalcante.

Na nota, a Diretoria diz que “cobramos de forma célere das autoridades policiais e judicias a justa punição aos que planejaram e ordenaram a propagação do vídeo criminoso, pois tal conduta se amolda nos tipos penais previstos nos artigos 138, 139 e 140 do Código Penal, respectivamente, calúnia, difamação e injúria. Que todos os executores, cada um na medida de sua participação, sejam responsabilizados criminalmente e civilmente pelos danos morais e materiais provocados, deixando claro para a sociedade em geral que o crime não compensa”.

Finalizando a Diretoria diz que “ao mesmo tempo, reafirmamos nossa solidariedade ao eminente pastor José Alves Cavalcante, o qual foi vítima desse tipo de crime covarde e humilhante, tendo-o como homem de honra, comprometido com as coisas celestiais, que desde muito cedo vem construindo uma história de sucesso no trabalho de evangelização da Região Tocantina, com uma extensa folha de serviços prestados ao Reino de Deus e à sociedade, sendo exemplo para toda uma geração no que tange a fé, a solidariedade e o amor.

VEJA TAMBÉM
Entrevista: “Vivo o melhor momento da minha vida ministerial”, diz pastor Adalberto Gomes

Segue nota na íntegra: