Da redação

De acordo com Moisemar Marinho, o cargo não está contemplado no quadro geral, nem na carreira de professores da educação do município. Foto: Aline Batista/Câmara Municipal de Palmas

Atendendo ao pedido da categoria, o vereador Moisemar Marinho (PDT) solicitou, nesta quinta-feira, 17, a inclusão dos professores da Fundação Cultural de Palmas no quadro geral do município, por meio do Anteprojeto de Lei que dispõe sobre a inclusão do cargo e enquadramento na Lei 1.441 de 12 de junho de 2006.

+ Moisemar Marinho pede que parlamento paute projeto que reduz tarifa de esgoto sanitário

De acordo com Moisemar Marinho, o cargo não está contemplado no quadro geral, nem na carreira de professores da educação do município. “É um quadro pequeno. Dessa forma, não irá gerar impacto orçamentário, pois o município é que paga a folha”, explicou.

Além disso, conforme o vereador, os servidores estão desamparados em razão de não ter lei que regulamente a carreira. “Estão prejudicados pelo tratamento em sua remuneração quando se trata de plano de carreira e, também, quando vão se aposentar, pois não tem lei que contemple e ampare legalmente”, disse.

O parlamentar pediu apoio aos vereadores de forma que votem favoráveis à matéria que, segundo ele, é de grande relevância para os trabalhadores da educação. “Precisamos dar a esses profissionais o merecido reconhecimento pelo trabalho que tem feito pelo povo da nossa Capital. É necessário fazer justiça a esses professores. Assim, o legislativo municipal não pode se eximir dessa responsabilidade”, finalizou.