Da redação

Pastor Querley (no meio) entre Flordelis e Anderson Foto: Reprodução

A deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD) exonerou de seu gabinete na Câmara dos Deputados dois pastores que saíram de sua igreja nos últimos meses. Querley Libério de Araújo e Rení Rodrigues de Moraes eram secretários parlamentares desde o início do mandato, em fevereiro deste ano, e perderam os cargos na última semana. A informação foi dada pelo jornal carioca O Extra.

+ Flordelis desabafa após 4 meses do assassinato: ‘Só Deus sabe minha dor’

Ambos deixaram o Ministério Flordelis após o assassinato do pastor Anderson do Carmo, em junho deste ano. Rení saiu da igreja cerca de duas semanas após o crime e Querley, dois meses depois.

A assessoria de imprensa de Flordelis afirmou que as exonerações aconteceram porque os dois pastores não atendiam mais as “expectativas administrativas”.

Rení era considerada braço direito de Flordelis na igreja e tinha salário de R$ 1.191 brutos no gabinete em Brasília, além de R$ 803 de auxílio, segundo informações do site da Câmara dos Deputados. Já Querley ganhava R$ 1.480 de remuneração e R$ 1.808 de auxílios. Após a sua saída do Ministério Flordelis, Querley passou a pregar em outra igreja em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio.

VEJA TAMBÉM
Flordelis encontra pulseira de Anderson do Carmo que estava sumida

O Ministério Flordelis, fundado pela deputada e seu marido, o pastor Anderson, conta atualmente com uma sede, no Mutondo, em São Gonçalo, e três filiais. Um dos filhos afetivos de Flordelis, Carlos Ubiraci, é presidente das igrejas, função que era desempenhada por Anderson antes de sua morte.