Da redação JM

Nana (Fabíula Nascimento) em cena de Bom Sucesso. Foto: Reprodução

A Globo foi alvo de crítica de internautas e de um Procurador da República por ter exibido em uma novela no sábado (19) uma cena de apologia ao aborto. No episódio, a personagem Nana (Fabíula Nascimento), grávida de um bebê que não deseja, comentou com vários personagens sobre o desejo – e o direito – de abortar.

+ Feliciano: ‘a rede Globo é um canal de destruição’

+ Contra conservadores, Globo lança série com aborto, prostituição e transexual

Eu não sou a favor do aborto, ninguém é. Mas sou a favor do direito de decidir sobre o meu corpo, sobre a minha vida“, declarou Nana, em diálogo com a protagonista do folhetim das 7, Paloma (Grazi Massafera).

“Pensando bem, ainda não é um bebê. É só um embrião. Não tem sistema nervoso, não tem coração, não é nem um humano ainda”, disse a personagem.

Paloma ponderou que muitas mulheres desejam ter filhos e não conseguem. Em resposta, Nana mencionou o direito à escolha: “Eu não sou a favor do aborto, ninguém é. Mas sou a favor do direito de decidir sobre o meu corpo, sobre a minha vida”, observou.

VEJA TAMBÉM
Alabama sanciona lei que proíbe o aborto: "Toda vida é um presente de Deus"

Em desabafo com o ex-marido Jorginho (Daniel Warren), Nana menciona o dilema a respeito da gravidez e a ilegalidade da situação no Brasil. “Aqui é ilegal, mas todo mundo conhece alguém que já fez”, afirmou. “Quem tem dinheiro consegue fazer um aborto seguro. Quem não tem condições, pode até morrer ou ser presa. Sou privilegiada, eu sei, mas eu não queria estar passando por isso”, continuou.

O procurador da República Ailton Benedito utilizou seu perfil no Twitter para criticar a emissora. Na mensagem, diz que a novela fez apologia ao aborto, crime previsto no Código Penal.