Da redação

Eventualmente, após inúmeras reclamações, os anúncios foram removidos pelo Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP).

Uma série de anúncios anticristãos e antijudaicos apareceram na cidade turca de Konya.

Os anúncios incentivam os muçulmanos a não fazer amizade com cristãos ou judeus, citando o capítulo 5, versículo 51, do Alcorão, que diz: “Não tome os judeus e os cristãos como aliados”.

+ Mesmo após prisão ilegal, pastor voltara à Turquia: ‘pregar o amor de Deus pelo povo turco’

“Eles são [de fato] aliados um do outro”, continua a passagem. “E quem quer que seja um aliado deles entre vocês – então, de fato, ele é [um] deles. De fato, Allah não guia as pessoas erradas.”

Eventualmente, após inúmeras reclamações, os anúncios foram removidos pelo Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP).

O órgão de vigilância da perseguição Christian Solidarity Worldwide (CSW) alertou que esse sentimento anti-cristão não era novidade. “Não é muito incomum, testemunhamos incidentes semelhantes em outras partes da Turquia”, observou a instituição de caridade ao Premier UK.

A remoção foi um “passo na direção certa”, mas certamente “não indicou uma melhoria significativa” no tratamento dos cristãos em todo o país de maioria muçulmana.

VEJA TAMBÉM
Turquia cobra bilhões de dólares para libertar pastor Andrew Brunson

Reforçando a opinião de muitos que vêem a incursão da Turquia no norte da Síria como uma espécie de jihad islâmica, o Presidente Recep Erdogan foi recentemente capturado diante das câmeras, provocando adeptos em uma mesquita, enquanto os devotos gritavam “Abençoe sua guerra santa!” E “O último califa da Islamismo.”