Redação JM Notícia

O chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, afirmou nesta quarta-feira (30) que a Rede Globo de Televisão quer desestabilizar o país ao noticiar o depoimento do porteiro que ligaria o presidente Jair Bolsonaro com a morte da vereadora Marielle Franco.

“Rede Globo, sensacionalista, ignorou a ética, a honestidade intelectual e os fatos para tentar ligar o Pres Rep ao caso Marielle. Usou, levianamente, o depoimento de um porteiro, com o objetivo de desestabilizar o Pres Bolsonaro a qualquer custo”, escreveu o general no Twitter.

Nesta terça-feira (29), o Jornal Nacional exibiu uma reportagem que mostra o depoimento de um porteiro do condomínio Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro, à Polícia Civil. O trabalhador disse que no dia da morte de Marielle o homem apontado como motorista do carro teria ido até o condomínio dizendo que iria na casa 58, onde o presidente, na época pré-candidato, morava.

Acontece que naquele dia, Bolsonaro estava em Brasília, com sua digital registrada na Câmara dos Deputados o que já garante que, de fato, ele não estava dentro do condomínio.

VEJA TAMBÉM
Bolsonaro ouve Moro e diz que vetará 9 pontos do projeto de abuso de autoridade

Heleno argumenta que o grupo de comunicação tenta “criar fato político que desestabilize o País e fomente violentas manifestações”, como as que ocorrem em outros países da América Latina. “Não querem o bem do Brasil, desejam apenas a volta dos seus privilégios. O povo brasileiro não permitirá que atinjam seus nefastos propósitos”, acrescentou.