Da redação

A Petrobras anunciou que vai disputar duas áreas, entre elas a de Búzios, considerada a maior área marítima de petróleo no mundo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta sexta-feira (1) que os investimentos decorrentes dos contratos da cessão onerosa vão permitir revitalizar o Brasil. Ele estima que o país irá arrecadar, por ano, entre R$ 40 bilhões e R$ 80 bilhões e afirma que este montante será repartido entre todos os estados e municípios.

+ Gás pode ter queda no preço em até 40%, diz Paulo Guedes

Ontem (01), o ministro da economia, Paulo Guedes, o de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, participaram da cerimônia de assinatura do contrato da cessão onerosa que permite a estatal de participar do leilão do pré-sal, previsto para semana que vem. A Petrobras anunciou que vai disputar duas áreas, entre elas a de Búzios, considerada a maior área marítima de petróleo no mundo. O governo espera arrecadar mais de R$ 100 bilhões.

O Termo Aditivo da Cessão Onerosa foi assinado na manhã desta sexta-feira (1º), entre a Petrobras e a União, na sede da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), no Centro do Rio. Era a última etapa burocrática para garantir a realização do megaleilão de áreas do pré-sal no próximo dia 6 de novembro.

VEJA TAMBÉM
Câmara irá votar MP que permite venda direta do petróleo do pré-sal

“A indústria do petróleo investe em média, no mundo inteiro, em todas as bacias, em todos os ambientes, cerca de US$ 55 bilhões por ano. Estamos falando de um leilão que envolve valores na casa de US 100 bilhões”, enfatizou o diretor-geral da ANP, Décio Oddone.