Da redação

Erosões no aterro da ponte FHC no lago de Palmas — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Um vídeo feito no lago de Palmas mostra que grandes erosões estão se formando no aterro da ponte Fernando Henrique Cardoso, que liga a capital à BR-153, em Paraíso do Tocantins. Um engenheiro especialista em pontes analisou o local e afirmou que falta manutenção no local e isso pode compromete a estrutura futuramente. As informações são da TV Anhanguera.

De acordo com o engenheiro especialista em patologias estruturais, Daniel Iglesias, o problema da erosão é causado principalmente pelas ondas que colidem com o aterro a todo o momento. O vento e o aumento da água no período chuvoso também ajudam a aumentar o dano no aterro.

“Os engenheiros mais antigos no estado afirmam que o projeto original não contemplava essa proteção contra ondas. Foi feito um projeto, de certa forma adaptado, que é o que a gente tem até hoje instalado na ponte”, explicou.

Além dos problemas no aterro, segundo o engenheiro, a própria ponte também tem problemas independentes. Principalmente nos pilares, que apresentam falhas no concreto, armadura exposta e fissuras.

Governo

A Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto) informou que uma equipe de engenharia realizou uma vistoria na Ponte Fernando Henrique Cardoso e não constatou riscos à estrutura.

Também afirmou que foi verificado um dano na estrutura do aterro denominado de ‘Cochão Reno’ e providenciando os reparos nessa composição, assim como em alguns dispositivos de drenagem (queda d’água) que estão danificados.

“A Ponte Fernando Henrique Cardoso recebe manutenção frequente conforme programação da Residência Rodoviária de Paraíso, unidade descentralizada responsável pela via”, afirma o governo.

O especialista alerta que se essa manutenção não acontecer com urgência o problema pode se agravar ainda mais e prejudicar o aterro.