Da redação

O deputado estadual Professor Júnior Geo (PROS) apresentou um requerimento na sessão ordinária dessa quinta-feira, 7, solicitando informações sobre as razões dos atos, que modificaram as titularidades de diversos cargos de Delegado-Chefe das delegacias, publicados no Diário Oficial do Estado do Tocantins nº 5.478 de 06 de novembro de 2019.

“Fui pego com a remoção desses delegados. Essa repressão que se faz à categoria, para mim é uma declaração de medo ao trabalho que a categoria vem desempenhando no Estado do Tocantins.”, ressaltou Geo demonstrando preocupação com as investigações no Tocantins.

+ Júnior Geo critica Governo por 40% de bônus a comissionados do alto escalão

Segundo o parlamentar, quando se promove um rompimento de atividades com a remoção e a mudança da pessoa que está à frente de uma investigação, o tempo para colocar outra pessoa que acompanhe e se inteire dos acontecimentos resulta em atrapalhar o desenvolvimento do trabalho.

Além disso, o deputado mencionou com estranheza a exoneração do delegado responsável por chefiar a Diretoria de Combate à Corrupção (Dracco) que ocorreu na mesma data em que foram deflagradas operações policiais com mandados de busca e apreensão e de prisão temporária de um grande empreiteiro do Estado, investigado pela execução de obras públicas de pavimentação asfáltica.