Da redação

“Infelizmente, nós temos mais uma medida que não condiz com os interesses da sociedade”, disse sobre a decisão do Governo. Foto: Reprodução

O deputado estadual Professor Júnior Geo (PROS) recebeu na tarde dessa quinta-feira, 7, na frente da Assembleia Legislativa do Tocantins (AL-TO), alunos e pais do Colégio Militar de Palmas. A manifestação ocorreu por conta da mudança que o Governo pretende fazer a partir do próximo ano, alterando a forma de ingresso nas escolas militares do Estado.

Atualmente, os candidatos passam por um processo seletivo e precisam realizar uma prova classificatória. Conforme comunicado pela Secretaria de Educação, a mudança propõe a entrada nestas escolas por meio do sistema informatizado de matrículas da rede estadual, como já ocorre nas demais escolas do Estado.

+ Júnior Geo questiona remoção dos delegados e se demonstra preocupado com o desenvolvimento das investigações

Nessa semana, o parlamentar usou a tribuna, durante sessão ordinária, para externar sua posição sobre a determinação da Secretaria. “A Secretaria está totalmente equivocada. Até a proposta do Governo Federal, em relação às escolas cívico militares, determina que a comunidade precisa ser consultada. Eu gostaria de saber se houve consulta à população que está diretamente envolvida com essa decisão ou se foi feito um estudo técnico para levar essa situação adiante”, questionou.

VEJA TAMBÉM
Júnior Geo solicita ao Governo prorrogação dos Concursos da Polícia Civil e Defesa Social durante reunião
Nessa semana, o parlamentar usou a tribuna, durante sessão ordinária, para externar sua posição sobre a determinação da Secretaria

Durante um encontro com os alunos e os representantes dos pais, Geo afirmou que a medida imposta é um retrocesso. Ainda disse que na próxima semana buscará reunir os demais deputados e a secretária de educação para debater o assunto. “Infelizmente, nós temos mais uma medida que não condiz com os interesses da sociedade. Esse direito precisa ser respeitado. Vamos buscar, com argumentos, a modificação dessa medida”, destacou.