Moisemar Marinho defende políticas públicas voltadas para a saúde mental da população

Uma tarde de debates acerca do aperfeiçoamento e do fortalecimento das políticas públicas marcou a audiência pública Política de Saúde Mental nos Âmbitos Municipal, Estadual e Nacional, idealizada pelo vereador Moisemar Marinho (PDT), na tarde dessa segunda-feira, 11. Na oportunidade, o parlamentar elencou direcionamentos acerca do tema e defendeu a necessidade do Estado também voltar as atenções para a saúde mental dos policiais civis.

Segundo Moisemar Marinho, à época em que apresentou o requerimento para a realização da audiência pública, pensou na categoria da polícia civil que, de acordo com ele, é uma das que mais sofrem com altos índices depressão e suicídio. Ele cobrou o Estado a cumprir com o Estatuto da Polícia Civil que estabelece tratamento psicológico, a cada seis meses, aos policiais.

“Além de vereador, sou também policial civil. Exerço a profissão há 15 anos e nunca passei por um tratamento psicológico. Dessa forma, vejo a urgente necessidade da interferência do poder público nessa matéria tão importante. Enquanto parlamentares, nós também não podemos nos furtar dessa responsabilidade”, afirmou.

VEJA TAMBÉM
Moisemar Marinho agradece emendas da senadora Kátia Abreu alocadas ao município de Palmas

O vereador frisou que o momento em que se discute a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) na Câmara Municipal de Palmas, para o exercício financeiro de 2020 da prefeitura, é oportuno para que metas e recursos sejam direcionados para a melhoria da saúde mental na Capital. “Precisamos levantar esse tema como prioridade”, disse.

Encaminhamentos

Um dos encaminhamentos do vereador Moisemar Marinho foi a criação da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Mental. Segundo ele, esse será o pontapé para garantir recursos para cuidar das pessoas. “Vamos investir nas pessoas que mais precisam do poder público. Esse é nosso papel enquanto representantes do povo”, reforçou.  

Na audiência, o vereador deu, ainda, os seguintes direcionamentos:

·         Ampliação e fortalecimento da Rede de Atenção Psicossocial garantida por meio de recursos financeiros para a criação de quadro técnico com psiquiatras, psicólogos, enfermeiros técnicos, auxiliares de enfermagem, terapeutas ocupacionais, dentre outros;

·         A transformação do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) II em CAPS III a fim de viabilizar o cuidado psicossocial integral, garantindo o serviço 24 horas;

VEJA TAMBÉM
Vereador fiscaliza Centro Municipal de Educação Infantil

·         Fortalecimento e manutenção do consultório na rua com garantia de estrutura e de equipe de recursos humanos;

·         Garantia do Centro de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil tendo em vista a alta demanda do atendimento de crianças de adolescentes;

·         Garantia de recursos financeiros para a execução do plano de ação para prevenção ao suicídio;

·         Garantia de recursos financeiros para a implantação do Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua (Centro Pop) no âmbito da política de assistência social;

·         Cobrar do Governo do Estado atenção à saúde mental da população carcerária do Tocantins.

Foto: Aline Batista