Da redação JM

Alberto Fernandez, presidente eleito da Argentina, na Vigília Lula Livre em agosto deste ano. Foto: Ricardo Stuckert

Se o presidente atual, Macri, chamava igrejas para seu Governo, o novo presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, vai contra o que elas pregam e disse que pretende fazer “sair o mais rápido possível” a legalização do aborto no país.

Segundo Fernández, “haverá um projeto de lei enviado pelo presidente” assim que ele assumir o governo, informou O Antagonista.  A posse do será no dia 10 de dezembro.

+ Milhares marcham contra a ideologia de gênero na Argentina

“Não depende apenas de mim, mas sou um ativista para acabar com a criminalização do aborto.”

O esquerdista afirmou que é preciso respeitar o direito que a mulher tem sobre o seu corpo, assim como sua crença caso ela acredite que é errado abortar.

Poste argentino grita Lula Livre

Durante seu discurso da vitória, o presidente eleito argentino aproveitou para fazer referência ao ex-presidente brasileiro Lula Inácio Lula da Silva, que na época estava preso.

Fernández, que logo após as primárias tinha trocado farpas com Jair Bolsonaro, afirmou que era preciso continuar pedindo a liberdade do presidiário.

VEJA TAMBÉM
Presidente da Argentina convoca igrejas para contribuir em acordo nacional

“Lula Livre”, gritou.