Da redação JM

“Jornaleco não vive sem mentir”, disse o presidente em rede social

O presidente Jair Bolsonaro desmentiu reportagem da Folha publicada nesta quarta-feira (20) que afirmava que o orçamento do Bolsa Família para este ano era insuficiente para pagar o 13º para os beneficiários.

+ Bolsonaro cogita Sergio Moro como vice em 2022, diz jornalista

“Jornaleco não vive sem mentir”, disse o presidente em rede social. “Suspendi minha assinatura e muitos empresários têm cancelado contratos publicitários nesse jornal campeão de fake news e desinformação”, afirmou.

Governo garante pagamento

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, afirmou logo após a reportagem que o pagamento do benefício extra do Bolsa Família, a ser creditado em dezembro, está totalmente garantido.

“Eu conversei com o ministro Osmar Terra [Cidadania], ele esclareceu algumas informações equivocadas em relação ao pagamento do 13º. Os recursos financeiros existentes são suficientes para arcar com os pagamentos que têm início previsto para 11 de dezembro”, disse Rêgo Barros. O porta-voz disse que o próprio Ministério da Cidadania poderia esclarecer a fonte dos recursos. Caso a reserva do programa Bolsa Família seja insuficiente, o próprio ministério pode remanejar dinheiro de outras áreas.  

VEJA TAMBÉM
Bolsonaro não criou lei que transformou Dia das Bruxas em Dia do Evangelho

Promessa de campanha eleitoral de Bolsonaro, o pagamento da 13ª parcela do Bolsa Família a todos os beneficiários do programa foi anunciada em outubro, com a edição da Medida Provisória (MP) Nº 898. O adicional totaliza uma injeção extra de R$ 2,58 bilhões na economia.

O Bolsa Família atende atualmente cerca de 13,5 milhões de famílias que vivem em situação de extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 89 mensais, e de pobreza, com renda entre R$ 89,01 e R$ 178 mensais por membro. O benefício médio pago a cada família é de R$ 189,21.