Jair Bolsonaro e Marco Feliciano (Podemos)

Considerado um dos principais aliados do presidente Jair Bolsonaro, o deputado pastor Marco Feliciano (SP) poderá ser expulso do Podemos pela Executiva Nacional da legenda.

O partido deve concluir até o fim do mês um processo contra o parlamentar e um dos argumentos do partido é o gasto de R$ 157 mil com um tratamento odontológico reembolsado pela Câmara. Na época, o deputado Marco Feliciano argumentou que precisava corrigir um problema de articulação na mandíbula e reconstruir o sorriso com coroas e implantes na boca.

Em 2018, durante a campanha, o pastor Marco Feliciano declarou apoio ao presidente Jair Bolsonaro, apesar de o partido ter um candidato próprio: o senador Alvaro Dias. A possível saída forçada de Feliciano ocorre dentro da estratégia do Podemos de se afastar do “bolsonarismo” e se firmar como a sigla da Lava Jato.

+ Deputado Eli Borges parabeniza Jair Bolsonaro por defender a liberdade religiosa na ONU

+ Marco Feliciano expõe Lula e pede sua convocação na CPI das Fake News

O deputado afirmou que não está acompanhando o processo disciplinar que pede a sua expulsão: “Não estou nem a par disso. Para mim, o que acontecer está bom”, disse, negando que vá deixar o Podemos por decisão própria. “Que o eleitor julgue o caso. Um partido expulsa um deputado por apoiar um presidente da República. Aí, não tem mais o que fazer”, afirmou, acrescentando que fechou um acordo com o Podemos desde a campanha eleitoral para ser independente. Com informações Terra