Da redação JM

Cena do especial de Natal da Netflix; sátira blasfema do grupo Porta dos Fundos encena relação amorosa entre Jesus e Satanás

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara aprovou nesta 3ª feira (17.dez.2019) a convocação de representante da Netflix para prestar esclarecimentos sobre o filme “A Primeira Tentação de Cristo”, produção especial de Natal do grupo de humor Porta dos Fundos.

O filme transmitido pela plataforma de streaming encena o retorno de Jesus dos 40 dias no deserto de forma humorística, e retrata uma relação amorosa entre Jesus e Satanás. Na polêmica produção, Cristo, Maria e José formam um triângulo amoroso.

+ Juiz federal quer processar Netflix por especial de Natal do Porta dos Fundos

+ Martins pede moção de repúdio à Netflix por filme com Jesus homossexual e Deus em triângulo amoroso: ‘Blasfêmia’

O requerimento de convocação aprovado é de autoria do deputado Julio Cesar (Republicanos-DF). O congressista se baseia no artigo 208 do Código Penal para caracterizar a produção como vilipêndio. O trecho determina que quem “vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso” poderá ser detido de 1 mês a 1 ano, ou ser submetido ao pagamento de multa. Para Cesar, o filme é “uma verdadeira afronta aos valores cristãos“.

VEJA TAMBÉM
Líderes evangélicos repudiam Porta dos Fundos por zombarem da fé cristã

Nós entendemos que uma obra de arte pode abordar diferentes aspectos a respeito desse período histórico sem fazer nenhum tipo de caricatura ou ofensa à imagem de Jesus. No entanto, este filme é uma verdadeira afronta aos mandamentos constitucionais. Constitui crime previsto no Código Penal e verdadeira afronta religiosa aos valores cristãos”, afirmou o deputado.

Na última semana, o filme dividiu opiniões. Um abaixo-assinado que pede a remoção do filme do catálogo da Netflix circula pelas redes, e até agora, já tem mais de 1,7 milhão de assinaturas.

Procurada pela reportagem, a Netflix informou que não se manifestará a respeito da convocação para audiência pública.

(Com Poder 360)