Gestão municipal cobra mudanças urgentes na recomposição da pavimentação asfáltica das ruas 13 de julho e L7 no bairro Alto da Colina

A Prefeitura de Porto Nacional notificou via oficio nesta terça-feira(07), a Secretaria da Infraestrutura do Estado do Tocantins, cobrando melhorias estruturais nas vias de acesso ao ponto de embarque da balsa que está situada no setor Alto da Colina.

Recuperação do pavimento asfáltico

A gestão municipal diz que sempre se posicionou a favor da comunidade portuense que fora prejudicada durante todo o período de interdição parcial da ponte sobre o rio Tocantins.

+ UFT de Porto Nacional elimina cotas de mestrado para LGBTs; deputados e pastores comentam

Porto alega ainda que desde a efetivação do decreto estadual realizada pelo Governo do Estado do Tocantins, foi necessário a realização de várias medidas devido ao crescente fluxo de veículos pesados até o atracadouro ás margens do lago.

Sendo assim a Gestão municipal cobra mudanças urgentes na recomposição da pavimentação asfáltica das ruas 13 de julho e L7 no bairro Alto da Colina, devido aos diversos transtornos enfrentado pelos moradores que tiveram suas vidas transformadas drasticamente pela mudança do curso normal do transito local.

VEJA TAMBÉM
Sinal de TV analógico será desligado em Palmas, Porto Nacional e Barrolândia; saiba como pedir seu conversor

Laudo técnico

Após um amplo trabalho de vistoria o laudo técnico do pavimento asfáltico mostrou que o crescente fluxo de veículos pesados causaram elevado nível de deterioração nas ruas mencionadas e provocando mudanças estruturais que comprometem as vias de acesso que em outro momento tinha seu curso normal.

Tendo por base as constatações oriundas dos pareceres técnicos baseados em investigações emitidas pelos peritos, a Prefeitura de Porto Nacional cobra de forma urgente providencias reparadoras que recuperem os padrões de trafegabilidade com segurança e conforto aceitáveis aos usuários que vivem nas imediações do acesso a balsa e que diminua os transtornos e desconfortos causados em consequência ainda da interdição da ponte e do fluxo desproporcional de veículos na região.