O objetivo do Governo Federal para 2020 é conseguir fazer o Brasil crescer economicamente com diferentes metas. Uma delas está ligada ao ramo de turismo, que deve receber ainda mais atenção do que teve nos últimos 12 meses. Além da isenção de vistos, que tem mostrado alguns resultados positivos, os governantes buscam outras formas de atrair estrangeiros para o país e também para os estados.

Desde o início do ano, os resultados da vinda de turistas estrangeiros para o Brasil foram considerados ótimos. Em julho, por exemplo, o Ministério do Turismo confirmou uma receita de US$ 598 milhões no setor. Um crescimento de 43,3%, se comparado com o ano passado. É um número que lembra o período da Copa do Mundo de 2014, quando o país bateu recorde nessa área da economia. O principal motivo dessa vez, no entanto, seria a supracitada isenção de visto.

Uma das primeiras medidas do governo em 2019, com o objetivo de facilitar a entrada de estrangeiros por aqui, foi exatamente essa isenção de visto para alguns países. Turistas da Austrália, do Canadá, dos Estados Unidos, do Japão e, mais recentemente, da China não precisam apresentar nada além do passaporte no aeroporto. O próximo país que deve entrar na lista, segundo reportagem divulgada pelo portal R7, é a Índia.

Essa medida teve como objetivo incentivar o turismo estrangeiro, porém isso não significa deixar de lado o mercado interno. Em Tocantins, por exemplo, o Ministério do Turismo aprovou um investimento no valor de R$ 2,6 milhões para a construção do Centro de Cultura e Arte de Taquaruçu. O local deve ser um atrativo não apenas para quem visita a cidade, mas também o estado. Em 2020, esse tipo de investimento deve se manter, com valores e projetos até mais ambiciosos.

VEJA TAMBÉM
Em visita a Colinas, Dimas é recebido pelo prefeito da cidade e vereadores

Gastos no exterior

Outro objetivo do Governo é aumentar o poder de consumo dos brasileiro no exterior, algo que tem acontecido durante 2019. Segundo o portal de notícias Panrotas, o Brasil é um dos países que mais levou turistas novos para, por exemplo, Las Vegas, nos Estados Unidos. Foram mais 180 mil pessoas visitando a cidade, o que significa um aumento de quase 20%, se comparado com 2018. Ou seja, um cenário otimista para o turista brasileiro.

Os números oficias quanto aos gastos no exterior já atingiram o valor de US$ 1,3 bilhões neste ano. Entretanto, se engana quem pensa que esse dinheiro é todo para hotéis, passagens aéreas ou pacotes de viagens. Uma reportagem do portal Mercado e Consumo, feita em 2018, explica que 56% desse valor bilionário vão para sites como os de e-commerce e também para outros tipos de portais estrangeiros. Ou seja, é um gasto lá fora sem sair de casa.

Isso pode parecer inédito para alguns, mas a verdade é que o avanço do mercado virtual já é uma realidade em diferentes setores. Um bom exemplo disso são os diferentes ramos da indústria do entretenimento, como os que oferecem serviços de streaming. Plataformas como Spotify, que disponibiliza streaming de músicas, e Cassino Online Betway que por meio do live streaming reproduz a atmosfera experimentada em cassinos físicos, e Netflix, que proporciona aos clientes a possibilidade de assistir a séries e filmes diversos no conforto de nossas casas, são apenas alguns dos exemplos que ilustram esse “boom” do mercado virtual.

É preciso entender todos esses gastos, principalmente nos meses mais recentes, para ajudar a expandir o turismo brasileiro. É um setor complexo e que não pode ser resumido apenas ao número de pessoas que entram e saem do país. Por isso mesmo, o governo do Tocantins também tem se mexido para conseguir incentivar diferentes negócios na região. Algumas dessas ações já devem surtir efeito no próximo ano.

VEJA TAMBÉM
Tocantins assina pacto pela presença de Forças Armadas nos presídios

Turismo tocantinense

No início de dezembro, a cidade de Babaçulândia recebeu o evento Café com Turismo e Geração de Negócios. Foi uma chance de conhecer um pouco mais das ideias do estado para 2020, principalmente com a presença da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa. Existe uma expectativa que a região receba mais investimentos no próximo ano para o setor de turismo.

Uma das iniciativas já tomadas, e que contou com grandes negociações, foi a permanência do Tocantins em uma das etapas do Rally dos Sertões. O Jalapão já esteve presente na edição de 2019 e, caso tudo ocorra como planejado, também estará no próximo ano. O Sertões é um dos eventos de automobilismo mais importantes do país e, por isso, impacta de forma positiva todos os estados por que passa. A ideia era manter a região no circuito e não perder a oportunidade.

Com o governo, junto com o estado, dando mais atenção para o setor de turismo e para esse tipo de situação, é esperado que mais ações como essa aconteçam durante 2020. A boa notícia, divulgada no final do ano pela TV Senado, é que Tocantins foi adicionada, pela Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado, na rota nacional de turismo do Brasil. A proposta deve trazer ainda mais investimentos para a região.

A situação econômica do país ainda pode melhorar bastante, e as perspectivas para que isso aconteça são boas. O turismo terá papel fundamental nisso, seja com a isenção de vistos para outras nações ou então com mais gastos no exterior. Os dados, assim como as respostas dessas ações, serão analisados para a margem de erro ficar cada vez menor. Assim, o Brasil conseguirá talvez se beneficiar cada vez mais do setor turístico, que tem tudo para ajudar a economia do país a se desenvolver ainda mais.