Redação JM Notícia

Roberto Alvim foi exonerado por Jair Bolsonaro e não é mais o secretário especial da Cultura

O secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, acaba de ser exonerado pelo presidente Jair Bolsonaro por ter copiado em seu discurso uma citação do ministro de propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels.

A fala foi feita durante um pronunciamento para anunciar o Prêmio Nacional de Artes e foi tirada da biografia de Goebbels. A fala original diz: “A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada” .

Já a fala do ministro foi: “A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada”.

Diante da repercussão negativa da fala, o Conselho Diretivo Nacional da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE) veio a público repudiar a fala e parabenizar o presidente por ter exonerado Alvim.

VEJA TAMBÉM
Academia ANAJURE 2019 abre processo seletivo com 50 bolsas de estudos

“O Conselho Diretivo Nacional da Associação Nacional de Juristas Evangélicos – ANAJURE – repudia veementemente a fala do Sr. Roberto Alvim veiculada no vídeo em que ele anuncia o Prêmio Nacional das Artes, publicado em 16/01/2020. A ANAJURE também congratula o Presidente da República Jair Messias Bolsonaro pela imediata exoneração do mesmo do cargo de Secretário Especial da Cultura do Governo Federal”.

No texto compartilhado nas redes sociais da ANAJURE, a associação de juristas defende os valores e ideais judaico-cristãos, entendendo que esta frase de um nazista é “de tamanha afronta à democracia e liberdades civis fundamentais”.