Comemorado em todo dia 20 de janeiro em todo o país, o Dia do Farmacêutico serve para, além de homenagear todos os profissionais da área, também nos lembrar as inúmeras possibilidades de atuação na profissão, que não se limita apenas ao atendimento em farmácias. 

De acordo com o Conselho Federal de Farmácia – órgão responsável por regularizar e fiscalizar a profissão no Brasil –  existem 135 especialidades agrupadas em 10 linhas de atuação: alimentos; análises clínico-laboratoriais; educação; farmácia; farmácia hospitalar e clínica; farmácia industrial; gestão; práticas integrativas e complementares; saúde pública e toxicologia.

Na família Ravazzano, seguir na profissão virou uma tradição. Com mais de 30 anos de experiência, Cristina, a mãe, escolheu trabalhar na área de manipulação. “Farmácia é uma área que você cuida das pessoas. E trabalhar com manipulação potencializa isso, você prepara o medicamento com muito cuidado, é algo bem humanizado”, assegura a profissional que também casou com um farmacêutico.

Já a filha, Flávia Ravazzano, optou por um campo de atuação diferente. Além de ajudar a mãe na farmácia de manipulação, ela atua com análise clínica em um hospital. “Tenho dois exemplos em casa, minha mãe e meu pai são farmacêuticos. Eu sempre vi a paixão deles e isso foi crescendo em mim também”, conta a jovem farmacêutica que aproveita para dar uma dica àqueles que pensam em ingressar nesta carreira. “Além da paixão, para seguir nessa a área, é necessário gostar do cuidado com o outro e de química”.

VEJA TAMBÉM
Léo Barbosa apresenta projeto para que farmácias da prefeitura abram aos finais de semana

Hoje, o Brasil conta com, aproximadamente, 221.258 farmacêuticos registrados. Do total, 87.794 desses profissionais trabalham em farmácias de qualquer natureza; os demais estão divididos principalmente em laboratórios de análises clínicas (9.718), farmácias públicas (11.251) e distribuidoras de medicamentos (4.436). O restante está espalhado por outras áreas.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil