Coreia do Norte: O país mais perigoso para ser cristão

Neste mês, a Portas Abertas lançou a Lista Mundial da Perseguição 2020, um documento que classifica, por meio de minuciosa pesquisa, os 50 países que mais perseguem cristãos no mundo. Mais uma vez, a Coreia do Norte desponta com a primeira posição, desde 2002, dos países mais hostis e perigosos para ser cristão.

Por três gerações, tudo no país se concentrou em idolatrar a família Kim e grandes estátuas são espalhadas por todo país, em que os norte-coreanos têm que se curvar e adorar. Se os cristãos forem descobertos, não apenas são levados para campos de trabalho forçado como criminosos políticos ou mesmo mortos, mas suas famílias também serão perseguidas e podem ter o mesmo destino.

Existem cerca de 300 mil cristãos secretos no país. Destes, 30% estão presos em campos de trabalho forçado.

Os cristãos não têm o menor espaço na sociedade, encontrar outros cristãos para cultuar a Deus é quase impossível e, se alguns ousam, isso deve ser feito com o máximo sigilo. As igrejas mostradas para turistas em Pyongyang (capital do país) servem apenas para fins de propaganda.

VEJA TAMBÉM
Donald Trump recepciona missionários libertados pela Coreia do Norte

FAÇA PARTE DESTE TRABALHO

Tudo o que se refere ao cristianismo deve ser mantido em sigilo, até mesmo a literatura. Por isso, é comum que os norte-coreanos só descubram a fé dos pais quando já são adultos e conseguem entender melhor o que esse segredo significa e como será punido pelo governo comunista.

Para instruir as crianças com valores bíblicos, sem falar diretamente sobre a fé, os cristãos recebem uma literatura especial. Por isso, um dos trabalhos da Portas Abertas com os cristãos norte-coreanos é capacitar os pais cristãos a educarem os filhos nos caminhos do Senhor, com livros apropriados que transmitam valores bíblicos.

Para saber mais sobre a Coreia do Norte e como apoiar este trabalho, acesse a campanha LIVROS PARA CRISTÃOS NA COREIA DO NORTE.